Trema prepara lançamento do novo álbum

7:30 PM


"Na Capital" é o novo registro de estúdio do quarteto paulistano. Lançamento acontece no dia 27 de Abril com distribuição da Ditto Music.

Por: Ingrid Natalie (instagram: @femalerocksquad)

A banda trema está pronta para o lançamento do seu novo disco, "Na Capital". O álbum contém 10 faixas totalmente autorais, com uma sonoridade encorpada e letras elaboradas.  Além disso, o disco conta com as participações de André Abujamra dividindo os vocais na faixa “Capital” e Adriano Grineberg nos teclados de “Vida Boa”. A produção ficou nas mãos Alexandre Fontanetti, renomado engenheiro de som que já trabalhou com importantes nomes da música brasileira. 

Formada em 1997 pelos músicos Márcio Zebini (voz), Maw Kido (guitarra e voz), Marco Maia (baixo) e Rafael Blekic (bateria), a Trema une um som vigoroso a letras inteligentes. Juntos há 21 anos, os integrantes do quarteto paulistano fizeram uma escolha. Ou a Trema permaneceria entre as milhares de bandas autorais brasileiras que batalham por oportunidade mostrando fragmentos de seu trabalho pela escassez de recursos ou, não importava quanto tempo levasse, optaria pela qualidade extrema. Demandou um longo período, mas optaram pela segunda opção. Leia a nossa entrevista com o vocalista e guitarrista da banda:

FRS: Primeiro queremos saber sobre o novo trabalho, "Na Capital". Como foi o processo de composição do álbum?

Maw Kido: Fala, Ingrid! Muito obrigado pela oportunidade. A Trema surgiu incialmente como um trio que  tocava apenas covers variados e com o tempo as primeiras composições foram surgindo naturalmente. Depois de um hiato de alguns anos nos reunimos e já voltamos com a ideia de trabalho autoral. Sacudimos nosso baú e revisitamos nossas composições das últimas duas décadas e entramos num processo criativo para novas. Basicamente o Márcio faz as letras e eu componho a música e, em seguida, todos juntos fazem os arranjos. A grande novidade atual é o acréscimo do nosso baterista Rafa Blekić. O Márcio que originalmente era baterista/cantor passou para o front. Isso deu uma liberdade maior na hora de fazer os arranjos.

FRS: Quais foram as principais influências para esse novo registro de estúdio?

Marcio Zebini: Quanto as influências da banda, acredito que é tão eclética quanto possível dentro do mundo do rock. Cada um dos 4 tem um gosto musical bem pessoal, diversificado, que vai do rock clássico ao alternativo. E isso traz muita coisa boa para as nossas composições. Acredito que as principais convergências ocorrem nos alicerces do rock: Led Zeppelin, Van Halen, Whitesnake, Deep Purple, AC/DC, Black Sabbath, Golpe de Estado. E, mais recentemente, The Winery Dogs e Black Country Communion.

FRS: Como vocês definiriam "Na Capital"?

Maw Kido: Rock direto com muita pegada, letras bem trabalhadas sem muitas conotações políticas/sociais, falamos sobre tudo, mas mais do que isso é a realização de um sonho. Mais de 20 anos de trabalho enfim pronto pros alto-falantes. Fizemos tudo com calma, rodeados só de gente boa. Produção e gravação do Alexandre Fontanetti, no fantástico estúdio Space Blues. Também gravamos algumas faixas com o André Kbelo Sangiacomo e o Jean Dolabela (ex-Sepultura e atual Ego Kill Talent) no estúdio Family Mob. Master do Carlinhos Freitas. Participações especiais do André Abujamra (na faixa “Capital”) e do Adriano Grineberg (em “Vida Boa”). Só fera.

Assista ao vídeo do single "Fato":


FRS: Qual faixa mais representa a nova fase da banda e por que?

Marcio Zebini: Pergunta difícil. Bem difícil. Como escolher entre 10 filhos? Somos realmente apaixonados por todas elas. Mas para não deixar você sem resposta, vamos dizer que a faixa “Capital”, quase homônima do álbum, merece destaque. É uma música revisitada, porém com nova letra e roupagem e uma das que foram bem trabalhadas junto o Produtor Alexandre Fontanetti. Além disso tem a participação mais do que especial do Abujamra dividindo os vocais comigo. Ele é um cara genial e ficamos muito felizes quando ele ouviu e faixa e quis gravar com a gente. Uma honra.

FRS: Como se deu o trabalho com o renomado Alexandre Fontanetti?

Marcio Zebini:  Como nunca tivemos pressa, queríamos os melhores profissionais envolvidos com a gente. Antes de gravarmos, contratamos o Fonta como produtor. Ele acompanhou alguns ensaios antes de iniciarmos as gravações e isto fez toda a diferença. Ter ao lado da banda quem conhece tudo de música e emite opiniões sinceras sobre o seu trabalho, sem filtro, ajuda muito na evolução de quem está disposto a ouvir e melhorar. Quando entendemos que estávamos prontos para gravar, o processo de conhecimento mútuo entre banda e produtor estava consolidado e, portanto, as coisas fluíram. Quanto a qualidade sonora do estúdio Space Blues, dispensa comentários. É só conferir quem já gravou lá. 

FRS: Ainda sobre o novo álbum, vocês lançaram recentemente o single "A Cada Passo" junto com um vídeo que conta a história de Pedro Pimenta, um sobrevivente da meningite. Como surgiu a ideia deste vídeo em particular?

Marcio Zebini: Conheci o Pedro há alguns anos e nos tornamos amigos. Um dia ele ouviu a canção “A Cada Passo” e imediatamente mencionou que a letra tinha tudo a ver com a história de vida dele, de força e superação. O tempo passou e, quando decidimos gravar o clipe, comentei com o Pedro sobre a possibilidade de participar conosco. Ele topou na hora. Devido ao fato do Pedro morar nos Estados Unidos, montamos uma operação de guerra quando ele passou rapidamente pelo Brasil em dezembro de 2017 e gravamos todas as cenas do clipe em um só dia. Uma maratona. Mas valeu a pena. O clipe foi dirigido pelo Rafael Terpins e o Humberto Bassanelli, dois caras consagrados no cenário do cinema brasileiro. O resultado realmente ficou fantástico.

Assista ao clipe: 


FRS: A banda está a 21 anos na estrada. O que mais motiva vocês a permanecerem fazendo música?

Maw Kido: Além de sermos amigos de vida, se alguém conhecer alguma terapia melhor que música (que você gosta, com quem você gosta), me avisa que eu começo no ato! A gente dá tanta risada nos ensaios que as vezes quase esquecemos de tocar.

FRS: Qual a visão da banda a cerca do rock nacional de hoje?

Marcio Zebini:  O cenário de hoje, e o de sempre, tem espaço para todos. Basta achar seu nicho e acreditar no seu som. Uma característica atual que atinge não só a música, mas absolutamente todos setores, é a rapidez com que tudo torna-se obsoleto. Essa onda do “perecível das coisas” vem da quantidade de informação e do apoio ao consumo. Então, é tanta coisa para desviar a atenção, é tanta coisa nova surgindo, que as pessoas não sabem se ouvem uma música de olhos fechados na sala ou se acessam aquele vídeo engraçado compartilhado nas Redes Sociais. Mas aí é que está o que mencionei sobre “nicho”. Encontrar o nicho. Se você produz música de qualidade, com letra de qualidade, pode pensar, por exemplo, no consumidor de vinil. Este sim, vai curtir abrir um bom vinho e curtir o seu som. 

FRS: Por que os nossos leitores devem ouvir a banda Trema?

Maw Kido: Por ser um trabalho único lapidado por duas décadas com o maior carinho e cuidado. Nós nos esmeramos pela qualidade técnica e artística e acreditamos que é isso o que os leitores de vocês procuram. Be our guests. ;)

FRS: Quais são os planos futuros da Trema?

Marcio Zebini: Vamos com tudo! Dia 27/4, sexta, lançaremos o álbum completo em todas as plataformas digitais com a Ditto Music, e também o nosso CD. No segundo semestre sairá nosso vinil. E agora começa a agenda de shows. O primeiro já está marcado: Dia 03/05, quinta, a partir das 20h, no Espaço Som, Rua Teodoro Sampaio, 512, Pinheiros, em São Paulo. Estão todos convidados a participar com a gente deste show de lançamento do álbum “Na Capital”!

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!