Carne Doce prepara grande performance para o Lollapalooza Brasil

10:00 AM

Carne Doce - Foto: Filipa Aurelio
Um dos mais importantes grupos de pop alternativo brasileiro está em intensa promoção do seu mais recente trabalho, "Tônus" (2018), e é uma das grandes atrações do dia 06 de abril no Lollapalooza. 

Texto: Ingrid Natalie (instagram: @femalerocksquad)

Quem pensa que Goiânia (GO) é apenas música sertaneja, está muito enganado. Da capital goianiense, encontramos a banda Carne Doce que se tornou hoje uma das mais importantes do pop alternativo brasileiro. O grupo nasceu em 2013 e fundado pela cantora e compositora Salma Jô e o guitarrista Macloys Aquino. Atualmente o quarteto também conta com Aderson Maia (baixo) e João Victor Santana (guitarra e teclados).

O disco de estreia, autointitulado "Carne Doce", entrou nas listas de melhores em 2014. O seu sucessor "Princesa" (2016) também conseguiu o mesmo feito recebendo várias críticas positivas. Com suporte do edital Natura Musical, o quarteto gravou em 2018 "Tônus", terceiro álbum, mais uma vez com forte repercussão. No show de "Tônus", a apresentação explosiva e sensual do Carne Doce, que desde o início da carreira tem subido nos palcos dos principais festivais do Brasil, ganha em performance e contemplação - sucesso que é consequência do alcance das novas músicas, da profundidade das letras e do instrumental etéreo e inovador da banda.

Conversamos com a vocalista Salma Jô que nos contou sobre a trajetória da banda e a antecipação pelo show dia 06 de abril no Lollapalooza Brasil. Confira: 

FRS: Uma das melhores definições sobre Carne Doce é de "projeto de um casal expondo seu amor em forma de música". Para aqueles que estão sendo apresentados ao seu trabalho agora, como aconteceu o início da banda?

Salma Jô: Macloys e eu morávamos juntos há 3 anos, ele tinha uma banda, a Mersault, que teve que parar, e eu tinha acabado de sair da The Galo Power, onde eu tinha sido backing vocal, e que tinha sido minha primeira experiência com banda. Daí começamos a compor juntos, as tocamos para uns amigos que nos incentivaram. Daí gravamos e produzimos um EP, e pra divulgar esse trabalho viramos banda e nunca mais paramos.

FRS: Quais foram as principais desafios que vocês encontraram nesses quase 6 anos de estrada?

Salma Jô: O primeiro foi o de sair de Goiânia. Depois o de conquistar uma agenda que tornasse a banda sustentável. Agora acho que precisamos ser melhores, excelentes, e sair do Brasil.

FRS: Em 2018, vocês lançaram o terceiro disco de inéditas, "Tônus". O álbum aborda principalmente o sexo da forma mais "safada", como a Salma mencionou em uma entrevista anterior. Como foi o processo de composição?

Salma Jô: O álbum não aborda principalmente o sexo. Na verdade essa forma "safada", "escrachada", aparece inclusive em músicas que não falam sobre sexo. Eu acho que o sentimento mais frequente no álbum é uma fraqueza, uma insuficiência, um ressentimento. Nós o compusemos principalmente no final de 2017 e começo de 2018, pouco antes, e na urgência de começarmos a pré-produção do álbum. As letras são minhas, a maioria das músicas foram compostas a partir de uma base do Mac ou do João, a que eu juntei a letra e depois arranjamos em grupo com produção do João Victor.

FRS; Li em uma entrevista na qual Salma Jô revelou que "sente remorso" de algumas letras do disco "Princesa". Como isso refletiu na composição do sucessor, "Tônus"?

Salma Jô: O remorso é em relação à fama que "Falo" ganhou, não só como "hino", mas como uma música que representasse, sozinha, a estética da banda. Isso refletiu num desejo meu de aprimorar o que faltou na suposta "heroína" de "Falo": mais humanidade, mais nuances, mais complexidade.

FRS: Qual faixa de "Tônus" mais representa o momento atual da carreira da Carne Doce e por que?   

Salma Jô: Talvez "Besta", porque tem a nossa cara, e a essência que temos desde o primeiro disco, mas ao mesmo tempo indica o quanto amadurecemos e para onde estamos indo, e porque tem uma moral de resiliência, de tônus, que é, ou sempre foi, nosso momento profissional.

FRS: Vocês irão se apresentar no sábado 06/04, no Lollapalooza Brasil. Como foi a reação da banda ao receber o convite para tocar no festival?

Salma Jô: Eu sei que os meninos ficaram excitados, mas a minha reação foi muito prática de já calcular minha performance e o show, mas nós temos muita experiência com festivais, então fiquei tranquila, agora que o festival está se aproximando é que estou começando a ficar nervosa. Mas, sinceramente, o que mais nos excitou é que será uma oportunidade única para nós de assistirmos as outras bandas do line-up. 

FRS: Vocês tem experiências boas em festivais como o Popload em 2017 dividindo o palco com Phoenix e PJ Harvey. O que vocês levam em consideração ao se prepararem para um festival do que um show solo?

Salma Jô: Num festival o desafio é maior porque é preciso conquistar um público que provavelmente nem conhece sua música, talvez até um público que não conhece sua música e que ainda prefira outro estilo ou outro tipo de performance. É preciso garantir um espetáculo emocionante para um público que está lhe assistindo pela primeira vez. E você só adquire segurança nesse tipo de performance com a experiência. 

FRS: O que o público pode esperar do show no Lollapalooza Brasil? 

Salma Jô: Um show excelente com músicas dos nossos três discos.
  
FRS: Quais serão os próximos passos da banda para o restante de 2019? 

Salma Jô: Continuar a turnê do Tônus, lançar clipes, chegar em cidades que ainda não chegamos, compor novas músicas.


Ouça "Tônus" na íntegra:



O festival chegou ao Brasil em 2012 e desde 2014 acontece no Autódromo de Interlagos em uma área de 600 mil metros quadrados, onde as apresentações acontecem em quatro palcos simultâneos. Em 2018, o Lollapalooza Brasil teve seu recorde de público. Nos três dias de festival, 300 mil pessoas lotaram o Autódromo de Interlagos e vivenciaram uma experiência única com mais de 70 atrações nacionais e internacionais.

A oitava edição deste que é um dos mais importantes eventos de música e experiência do mundo, contará com os headliners Arctic Monkeys, Tribalistas, Sam Smith e Tiësto no dia 5 de abril; Kings of Leon, Post Malone, Lenny Kravitz e Steve Aoki, no dia 6 de abril; Kendrick Lamar, TWENTY ØNE PILØTS e Dimitri Vegas & Like Mike no dia 7 de abril.

As entradas para o Lollapalooza Brasil 2019 podem ser adquiridas pelo site www.lollapaloozabr.com, bilheteria oficial (sem taxa de conveniência – Credicard Hall, em São Paulo) e nos pontos de venda exclusivos: Km de Vantagens Hall Rio de Janeiro e Km de Vantagens Hall Belo Horizonte.

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!