King in The Belly lança dois novos singles

5:49 PM



“Magic Town” e “Let’s Go” é uma aula de influência musical do quarteto australiano-brasileiro 

Por: Ingrid Natalie (instagram: @femalerocksquad)

A banda australiano-brasileira King in The Belly anunciou recentemente os novos singles “Magic Town” e “Let’s Go”. Apresentadas pela primeira vez em um show memorável durante o festival HackTown em uma casa inédita criada pelo Google no Brasil, as músicas, compostas pelos quatro integrantes da banda, são marcantes e tem influências distintas.

“Magic Town”, com sua atmosfera setentista e influências de rock clássico, conta sobre uma pequena cidade mágica onde coisas surreais podem acontecer. A letra foi inspirada pela sul-mineira Santa Rita do Sapucaí, onde a banda está situada, próximo da capital paulista, conta Vinicius Boareto, baterista do King in the Belly. Por outro lado, "Let’s Go", afirma o australiano Luke Kiernan, baixista da banda, “é uma canção totalmente despretensiosa, que tem muito a ver com o estilo de se fazer rock no Brasil. “É um “grunge rock” para se colocar no carro e sair sem rumo por aí”.

A mistura da sua dupla nacionalidade com suas composições em inglês vem sendo um aspecto essencial para o crescimento da carreira da banda. Além do público brasileiro, o King in the Belly tem ganhado ouvintes em países de língua inglesa, como a Austrália, o que, no início de 2017, levou o seu primeiro single “Behind” a passar uma temporada como parte da playlist “Aussie Hitlist”, feita pela Ditto Music no serviço de streaming de músicas Spotify. 

A paixão do King In The Belly pela música também feito surgir novos projetos. Eles estão organizando a segunda edição do King in the Belly Backyard, evento que transforma um quintal diferente a cada edição em um espaço para música independente, com boa comida e muita cerveja. Conversamos com o baixista Luke Kiernan que nos contou sobre os primórdios da banda, projetos e planos futuros. Confira:

FRS: Para aqueles que estão conhecendo a banda pela primeira vez, como vocês se encontraram e decidiram formar o projeto?

Luke: Bem, nós começamos como amigos tocando por diversão em 2015. Nós apenas brincávamos tocando principalmente covers. Nós sempre tivemos algumas ideias para canções originais, mas não tínhamos desenvolvido elas completamente. Então, nós conhecemos os caras do "Rockambole Label” em São Paulo que nos convidou para fazer um show com músicas próprias lá. Nós decidimos aceitar e escrevemos 4 ou 5 músicas em uma semana, o que foi bem intenso, mas prazeroso. Eu diria que esse foi o nosso marco inicial.  

FRS: Como veio a ideia do nome King In The Belly?

Luke: Eu trabalho como professor de inglês. Um dia, um aluno e eu estávamos brincando sobre como algumas expressões em português podem ser traduzidas e outras não. "Rei na barriga" soa muito engraçado em inglês...e ela ficou na minha cabeça. Os caras da banda riram e entenderam de primeira. 

FRS: Como funciona o processo de composição para vocês? Existe alguém responsável pela letra e outro pela melodia?

Luke: Nosso processo de composição é totalmente colaborativo. Nós desenvolvemos toda ideia juntos, e cada um de nós traz algo diferente para o processo. Às vezes, nós não sabemos exatamente o que nós estamos procurando até encontrá-lo...mas nós todos sacamos logo de cara quando sabemos o que queremos. 

FRS: Quais são as principais influências da banda? 

Luke: Nós tomos temos gostos musicais ecléticos e diferentes que faz difícil nivelar, mas nós todos realmente amamos Alabama Shakes....A dinâmica, tom e groove deles é simplesmente sensacional. Eu acho que eles nos ensinaram muito sobre como encontrar um ótimo groove e tocar para servir a música. 

FRS: Qual foi a reação da banda ao apresentar os singles "Magic Town" e "Let's Go" no festival Hacktown e como foi a receptividade do público?

Luke: Nosso show foi muito bem recebido. Nós tocamos em lugares lotados por 3 noites o que foi muito encorajador. Isso nos deu uma boa oportunidade de ver a reação do público sobre as nossas músicas. Isso nos ajudou a decidir quais músicas vão entrar no álbum. Hacktown foi ótimo em termos de contato. Nós conversamos com muitas pessoas ótimas na indústria da música. Em particular, os caras do Ditto Music que têm sido incrivelmente apoiadores. Eu também acho que a natureza calma do Hacktown realmente ajudou a tornar esses contatos significativos. 


Assista ao vídeo de "Magic Town"


Assista ao clipe de "Let's Go":


FRS: Queremos saber mais sobre o projeto King in the Belly Backyard, como surgiu o projeto e qual o principal objetivo dele?

Luke: Oportunidades para bandas originais são bastante limitadas na nossa região, então quando vimos uma chance de fechar um local durante o Hacktown nós topamos. Basicamente é onde o evento começou. Nós queremos promover eventos divertidos para música original em um ambiente de "quintal". Sob a perspectiva de um músico, é uma grande chance de encontrar outras bandas na mesma pegada e construir oportunidades juntos, bem como construir nossa base de fãs.

FRS: O que mais impulsiona vocês a fazer música?

Luke: A alegria pura realmente. O processo todo é muito divertido. É desafiador, mas bastante divertido. Nós também curtimos muito tocar nossas músicas ao vivo. 

FRS: Finalmente, quais são os planos da banda para 2018? 

Luke: Trabalhar firme! Nós esperamos lançar nosso álbum de estreia ainda no início deste ano, e tocar o máximo possível. 

King In The Belly nas redes sociais:

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!