Raul de Paula inicia carreira solo

2:24 PM

Raul de Paula - Foto: divulgação via Instagram 
Zukangor é o novo projeto do músico que também continua firme na Supercombo. A produção do primeiro registro de estúdio começa nesta terça-feira, 23/05.

Entrevista: Jair Borges
Edição: Ingrid Natalie (twitter: @ingridnatalie)

Inquietação significa o estado de quem quer saber e conhecer mais, que não se satisfaz com seus conhecimentos. Raul de Paula se encaixa perfeitamente nesse quadro. Atualmente, o músico  divide a sua atenção entre as baquetas da  Supercombo e seis cordas da Zukangor, seu projeto solo. A tônica deste novo trabalho é bastante diferente do que a da sua banda principal. Notamos uma forte influência de Silverchair, principalmente da fase Frogstomp, através das guitarras mais pesadas e com elementos do grunge.

Raul revela que Zukangor começou de forma intimista, com um sentimento de satisfação própria e que não há interesse comercial. "A gente só faz o que a gente gosta, nada pra vender. Tem música mais tranquila, mas é porque nós gostamos de música mais tranquila também", comenta o músico. Ele também afirma que o novo projeto inevitavelmente aconteceria e que os fãs não precisam se preocupar uma vez que ele ainda integra a Supercombo.

A banda que também conta com Thiago Perlman, Jerry Campoy e Victor Kssb deve entrar em estúdio nesta terça-feira, 23/05, para a gravação do EP de estreia. O registro de estúdio deve conter 7 faixas e será lançado em formato digital.

Nosso colaborador, Jair Borges, conversou com Raul de Paula sobre esse novo momento na carreira. Confira a entrevista: 

FRS: O que vocês esperam desse novo projeto?

Raul: É um projeto que na verdade não começou pensando em algo muito grande, a gente pensou algo mais para a gente e continua sendo bem particular mais de satisfação própria do que uma coisa "comercial" de querer vender e fazer milhões de shows, mas estamos muito empolgados no que estamos construindo, a ambição é crescer no cenário independente.

FRS: Então não seria algo feito para se parecer com algo para vender, algo feito por vocês para vocês?

Raul: Com certeza! A gente só faz o que a gente gosta, nada pra vender. Tem música mais tranquila, mas é porque nós gostamos de música mais tranquila também. A gente é fã de Silverchair. Como todo mundo está cansando de saber que eu sou viciado em Silverchair e entre outras bandas, mas no nosso jeito de compor, de fazer as melodias mas sempre pensando nos nossos gostos. Nunca pensando "Será que vão gostar assim?" se não gostar não tem problema não, não vai no show, não compra o CD ou pula de música e escuta as que gostou.

FRS: O que será retratado nas letras?

Raul: Bom, fala muito do que cada um passou na vida e dificuldades pessoais, das loucuras da vida, da mudança e de esperança de coisas tristes, coisas que todo ser humano passa. Você vê hoje (18 / 05) um dos nossos maiores vocalistas se enforcou (se referindo a Chris Cornell), então a vida é louca pra todo mundo. Elas descrevem um pouco da angústia e isso é uma forma de botar para fora o sentimento que cada um está passando.

FRS: Você estava na Supercombo uma das principais bandas do cenário nacional, houve o afastamento para trabalhar no Zukangor?

Raul: O projeto Zukangor uma hora ou outra iria rolar independente da Supercombo ou não, eu iria achar um tempinho quem sabe nas férias se eu não tivesse dado um tempo da Supercombo. O Léo mesmo está gravando o Scatolove que está ficando irado, o Toledo tem as músicas dele, o Paulinho tem os projetos dele. Não existe uma motivação de ter largado até porque eu não larguei a Supercombo, mas esse projeto existe há muito tempo. Esse é o mais especial de todos que eu já tive, pois já trabalhei em outros nos quais que eu fazia as músicas, e em todos eu contribui. Essa é a mais especial e que vai ficar para sempre e eu não vou ter outra banda paralela ficando na Supercombo que não seja a Zukangor.

FRS: O que fãs da banda Supercombo podem esperar do som da Zukangor?

Raul: O nosso som é algo mais cru comparando com a Supercombo. Nós não temos os "500 teclados e sei lá", o sintetizador e as paradas que o Paulinho usa e nem os vários efeitos de pedais mas temos alguns efeitos de guitarra, a gente explora as coisas após rock 90's que a galera deu nome de pós grunge. Então tem aquela guitarra mais crua mas com alguns efeitos legais de guitarra.

FRS: Já tem alguma data para lançamento de single, EP ou álbum? 

Raul: Entramos na terça (23) no estúdio, mas sem pressa e tranquilo mas lançar alguma coisa mesmo daqui dois meses pois queremos lançar algo com clipe e em todas plataformas digitais possíveis e ficar rico (risos) tudo que a gente gasta tem que voltar uma hora.

FRS: Vai sair em mídia física? 

Raul: Acredito que o EP agora só nas plataformas digitais, o EP vai ter 6 músicas mas talvez 7 e o CD não sabemos pois temos muita música mas acredito que seja por volta de 14 faixas ou um CD duplo, não mentira (risos).

FRS: Podia ser um CD duplo, joga tudo de uma vez e espera dois anos e vai gravar na gringa

Raul: Pode acontecer, deve acontecer (risos) mentira

FRS: Mas se rolar me lava na mala pois é só o peso dos ossos  (risos)

Raul: Os caras da banda é tudo assim, eu que sou o mais gordo da banda.

Confira uma demo divulgada no facebook:

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!