Em sua segunda edição, Solid Rock proporciona shows com qualidade e paixão ao rock pesado

6:00 PM

Black Star Riders, Alice In Chains e Judas Priest fizeram uma genuína celebração ao rock pesado

Texto: Ingrid Natalie (instagram: @femalerocksquad) 

Solid Rock é uma oportunidade única de curtir performances incríveis de verdadeiras lendas da história do Rock. A segunda edição paulista do festival aconteceu neste sábado, 10/11, no Allianz Parque e trouxe em seu line-up Black Star Riders, Alice In Chains e Judas Priest.

Black Star Riders durante show no Solid Rock em São Paulo - 10/11/2018 - Foto: Ingrid Natalie
Ás 18h, Black Star Riders teve a difícil missão de envolver a plateia que aguardava ansiosamente por Alice In Chains e Judas Priest, mas a conseguiram cumprir de forma louvável. A banda formada por Scott Gorham (guitarra) e Damon Johnson (guitarra),  Ricky Warwick (vocal e guitarra), Robert Crane (baixo) e Chad Szeliga (bateria) exibiu o melhor dos seus três álbuns de estúdio e sua base na icônica banda Thin Lizzy. O repertório incluiu os clássicos "Jailbreak"  e "The Boys Are Back In Town".  Um dos destaques foi a música "The Killer Instinct"  aquecendo apropriadamente o público que ainda chegava ao Allianz Parque.
William DuVall e Jerry Cantrel durante show no Solid Rock - 10/11/2018 - Foto: Ingrid Natalie
Alice In Chains dispensa qualquer tipo de apresentação. O quarteto liderado pelo guitarrista Jerry Cantrel subiu ao palco às 19:30 e fez uma performance muito consistente. Não por acaso, continua sendo uma das bandas de rock americanas mais bem-sucedidas e influentes de todos os tempos. Eles lançaram recentemente "Rainier Fog" que integrou o setlist com as faixas "Never Fade" e "The One You Know", ambas muito bem recebidas pelo público. Mas, foi "Check My Brain" que iniciou o show de forma intensa e empolgante.

Deixaram os fãs mais antigos extremamente empolgados com os clássicos "Them Bones", "Down In A Hole", "No Excuses", "Angry Chair" e "Would". O vocalista William DuVall impressiona com sua qualidade técnica e timbre de voz bastante parecido com o saudoso Layne Staley. Obviamente que "Man In The Box", maior clássico da banda de Seattle, era presença obrigatória no repertório e definitivamente o ápice do show, a plateia cantando em um belíssimo coro que ressoava pelo estádio. "Rooster" fechou o excelente show de aproximadamente 1h15m. 

Rob Halford durante show no Solid Rock em São Paulo - 10/11/2018 - Foto: Ingrid Natalie
Poucas bandas de heavy metal conseguiram alcançar o status de Judas Priest em aproximadamente 40 anos de carreira. A presença e influência se mantém tão fortes que unir todo o público presente no estádio. Rob Halford (vocal), Glenn Tipton (guitarra), Scott Travis (bateria), Ian Hill (baixo) e Richie Faulkner (guitarra) deram uma verdadeira aula de rock pesado. Eles iniciaram o show às 21:30 com uma trinca sensacional: "Firepower", "Running Wild" e "Grinder".

Cada cenário foi estrategicamente montado de forma a contar uma história junto com cada música.  Isso sem contar as mudanças de figurino de Rob Halford, que hora trajava jaquetas e sobretudos de couro e tachas e outra um visual mais hard rock com muito brilho. Além disso, o vocalista é uma atração a parte. Aos 67 anos, ele demonstra uma vitalidade impressionante e uma voz impecável que correspondia sempre que exigida como em "The Ripper" ou "Painkiller" uma das mais aguardadas da noite.

"Turbo Lover" e "You've Got Another Thing Coming" são excepcionais ao vivo e agitaram todos os metaleiros de plantão. "Breaking The Law" é o maior sucesso do Priest, os fãs foram ao delírio e cantaram a plenos pulmões. Já perto no final do show e conferindo uma atmosfera mais hard rock, "Living After Midnight" concluiu de forma épica o show de 1h30m. 

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!