Conheça a trajetória de Ricardo Cruz, o membro brasileiro do Jam Project

5:00 PM


De um simples espectador  à uma das figuras mais revelantes para os fãs brasileiros de animes e tokusatsus. Ricardo é um dos exemplos mais claros de que vale a pena persistir pelos seus sonhos.

Texto: Ingrid Natalie (twitter: @ingridnatalie)

A Rede Manchete era o canal mais relevante para os fãs de anime e séries japonesas (tokusatsus) influenciando vários jovens durante a década de 90. Ricardo Cruz foi uma dessas pessoas que mergulhou de cabeça dentro da cultura japonesa através de Cavaleiros do Zodíaco, Changeman e Jaspion. Na época, ele não imaginava o quão importante isso seria. Em 1999 ele cruzou os oceanos para fazer um intercâmbio no Japão. Ele concluiu o 3º colegial no país e se tornou fluente no idioma.

Ricardo se envolveu intensamente com jornalismo quando voltou para o Brasil, trabalhando para várias publicações, incluindo a antiga editora Conrad. Logo seguida, ele fez parte da equipe do evento Anime Friends, maior convenção de animes, mangás e tokusatsu da América Latina. Mas, foi na música onde encontrou sua verdadeira paixão.

Em 2005, Ricardo chamou atenção do músico Hironobu Kageyama que ficou bastante impressionado com a capacidade vocal do jovem brasileiro. Consequentemente veio o convite para integrar o famoso e renomado grupo japonês Jam Project, que canta canções de animes. Antes de sua grande conquista, ele também cantou na Banda Wasabi, bem conhecida nos eventos. O resto é história. Em entrevista exclusiva ao FRS, Ricardo nos conta sobre seu período na terra do sol nascente, os 11 anos de Jam Project e seus planos futuros. Veja abaixo como foi a conversa com ele:

FRS: Primeiramente, quando e como você começou a se envolver com a cultura asiática?

Ricardo Cruz: Bem pequeno, com Jaspion, Changeman e todas as séries japonesas que estouraram nessa época. Sou completamente da geração TV Manchete!

FRS: Você fez um intercâmbio para o Japão em 1999 e concluiu o colegial no país. Pode nos contar mais sobre a experiência? 

Ricardo Cruz: Foi incrível. Minha paixão pelas séries de TV japonesas e pelo idioma me levaram a querer morar lá. Um tio do meu pai era do Rotary Club na época e fomos atrás do processo de intercâmbio. Fiquei um ano na cidade de Utsunomiya, a 100 quilômetros de Tóquio. Ia de biciclicleta vestindo terno e gravata todos os dias para a escola, bem como é nos animes. Lá aprendi japonês e descobri o karaokê!

FRS: Quando surgiu o interesse em se tornar vocalista e quais foram as suas principais influências na época?

Ricardo Cruz: Foi justamente indo ao karaokê quando morei no Japão. Naquela época ouvia muito trilha sonora de anime e tokusatsu. Acho que as principais influências são dois dos caras que hoje são meus companheiros no JAM Project, o Hironobu Kageyama e o Masaaki Endoh. Cresci ouvindo muito a carreira solo deles.

FRS: Você ingressou ao Jam Project em 2005. Qual foi a sua sensação quando Hironobu Kageyama curtiu as suas demos?

Ricardo Cruz: Foi surreal. Parecia um sonho. Em 2003 o Kageyama veio pela primeira vez para o Brasil, para o Anime Friends, eu era muito fã. Em 2005, só dois anos depois, já estava gravando música com o JAM. Foi tudo muito rápido.


Confira Ricardo em ação ao lado do Jam Project


FRS: Após esses 11 anos no Jam Project. Em quais aspectos você sente mais amadurecimento?

Ricardo Cruz: Muitos! Ao longo dos anos me tornei também compositor, que é o que talvez eu mais goste de fazer hoje. Postura de palco, voz, etc... Aprendi tudo com eles. 

FRS: Sabemos que está trabalhando em uma nova música, "Treasure In The Sky". Quais foram as suas inspirações para ela? E o que podemos esperar da sonoridade dela?

Ricardo Cruz: Essa fiz em homenagem ao cantor Koji Wada, que infelizmente faleceu esse ano. Nós éramos bastante amigos. Estava fazendo música pro novo disco do JAM quando a notícia veio, aproveitei para extravasar o que estava sentindo. O arranjo é bem épico, a letra fala sobre ficar longe de alguém que você gosta. Gostei muito do resultado final. Ela estará no disco Area Z, que sai dia 29 desse mês.

Enquanto aguardamos o lançamento da nova música. Veja a gravação de "Butterfly", também em tributo ao Koji Wada


FRS: A respeito do Anime Friends, um dos maiores evento de cultura pop da América Latina, quais foram os desafios que você superou sendo coordenador do Super Friends Spirits?

Ricardo Cruz: O de deixar o show bem próximo dos que eu fui assistir no Japão em 1999, quando morei lá. No começo não tínhamos banda, por exemplo, foi um desafio reunir um time capacitado para tocar as músicas o mais próximo do original. Com o tempo, me afastei da parte de coordenação. Hoje apenas participo como artista e apresento os shows.

FRS: Haverá um Especial 20 Anos de CDZ. O que o público pode aguardar desse grande show? 

Ricardo Cruz: Vai ser um show inédito!! Com quase todos os interpretes de músicas de Cavaleiros do Zodíaco do Japão e do Brasil. Isso nunca aconteceu. Não vejo a hora!

FRS: Para finalizar,  deixe um convite para os nossos leitores irem ao Anime Friends 2016. 

Ricardo Cruz: Vou participar dos shows especiais de Digimon, homenageando o Koji Wada, do especial Dragon Ball Z e do Cavaleiros do Zodíaco in Concert. Já estou ensaiando as músicas desde já. São muitas. Garanto que o repertório está imperdível, vou cantar até umas raridades. Enfim, não percam! Nos vemos lá.



Mais informações: www.animefriends.com.br

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!