AeroSnake: Então você pensa que o Hard Rock está decadente? Pense de novo!

4:00 PM


Texto: Fernanda Cristina
Fotos: Twitter / G1
“Cara, ir pra um show de Rock é como andar em uma montanha russa! Quando você está na fila, é como se você estivesse se preparando pra subir nos trilhos, quando os portões se abrem, é como se fosse naquela descida violenta e quando você chega à pista pra garantir seu lugar, é como se toda aquela adrenalina do percurso tivesse ido embora pra você finalmente aproveitar o resto do passeio! Mas quando a banda sobe ao palco, começa tudo de novo! A emoção é até maior...”

Ouvi esse pequeno diálogo entre algumas pessoas ainda na fila e tive que concordar. Realmente é assim, foi assim e sempre será assim. Muitos podem achar a comparação bobinha, mas nessa hora aquele velho bordão é válido: “Só quem é fã entende”.

Na última quarta-feira, dia 23/10, o novo estádio de Brasília finalmente foi usado de maneira digna. Se o público do pop teve a oportunidade de se deleitar com a apresentação da Beyonce, agora era a vez a galera do Rock presenciar um espetáculo de verdade com o Whitesnake e o Aerosmith.

Ás 21h00, “My Generation” do The Who começa a tocar e o logo do Whitesnake aparece no telão. A hora do show estava cada vez mais próxima e os fãs cada vez mais apreensivos. 
Finalmente, quando a banda sobe ao palco, os aplausos e gritos vêm à tona. “Here’a song for ya” – dispara David Coverdale enquanto faz o seu conhecido gesto com o pedestal. “Give me all your Love” foi o primeiro clássico da noite que agitou a galera. Diferente de 2011, o Whitesnake voltou com uma surpresa agradável: O baterista Tommy Aldridge estava de volta e fez bonito com as baquetas durante o show inteiro, inclusive tendo um tempo generoso para mostrar suas habilidades com a bateria. Aliás, a banda toda estava bem afiada, com Reb Beach e Doug Aldrich nas guitarras mostrando que não tocam no WS há 10 anos à toa, Michael Devin (baixo) e Brian Ruedy (teclado) tocando seus instrumentos com competência e David Coverdale que, embora muitos digam que sua voz tem falhado, ainda consegue colocar uma plateia inteirinha na palma da mão se quiser.   


David Coverdale, o homem da cobra, em ação. - Fonte: Twitter do David Coverdale

Embora o show tenha sido curto, quem é fã de Whitesnake não teve do que reclamar em relação ao setlist. Da última vez que vieram, estavam divulgando o disco ‘Forevermore’ e por isso deram preferência às músicas do novo álbum. Mas desta vez tocaram alguns bons e velhos clássicos que fizeram o público pirar, como a dobradinha “Slide it in/Slow na’Easy”, “Ready an’Willing” e “Bad Boys”. Sim, claro, a baladinha “Is This Love” não poderia faltar, sendo cantada em coro pelo estádio inteiro, e outros hits como “Love ain’t no Stranger” e “Still of the Night”. 

A apresentação terminou com uma execução matadora de “Burn” com direito a um pedacinho de “Stormbringer”, pra fechar a turnê da ‘cobra branca’ com chave de ouro. David Coverdale, como todo bom rockstar toda vez que vem ao Brasil, fez juras de amor ao país, agradeceu o carinho do público e foi embora com suas serpentes para dar vez ao Aerosmith, a banda esperada da noite.

Foram quase 40 minutos que se arrastaram no relógio dos impacientes. Troca de instrumentos, ajustes nas luzes e no telão...”Tá demorando demais!!! Queremos o Aerosmith!!!” – Diziam os ansiosos. 

E, de repente, as luzes de apagam e imagens da banda aparecem no telão. Aguenta coração que agora era a hora esperada por todos. 

Depois de muitos jogos de luzes, imagens no telão e trechos de músicas que a galera sabia de cor, o Aerosmith sobe ao palco arrancando gritos histéricos, aplausos, pulinhos, escândalos e muita choradeira dos fãs. Sim, eles realmente estavam ali em carne e osso e a noite iria ser longa, mas agitada. Hora de “iniciar os trabalhinhos”. 

“Eat the Rich” abriu a apresentação e nos primeiros riffs a multidão sucumbiu ao bom e velho Hard Rock, que só bandas do calibre do Aerosmith sabem fazer. 

Nas músicas seguintes, mais surpresas agradáveis. Fica até difícil escolher qual música deles é a melhor. Depois da primeira música, os caras metralharam um sucesso atrás do outro. Só pra relembrar aqui: “Love in the elevator”, “Toys in the Attic”, “Oh Yeah” (do ultimo álbum ‘Music from another dimension’), “Pink”, “Dude (Looks like a lady)”, “Rag Doll” e “Cryin’” (pra desgraçar de vez com o coração dos mais frágeis). Sentiu a pressão? É...Teve até quem passasse mal por ali (e não estou mentindo não, realmente umas pessoas tiveram de ser arrastadas pelos brigadistas de tão alteradas que estavam).

A banda dispensa comentários. Certeza de que muito novinho ficou sem entender como é que uns caras de 60 anos ainda tinham energia sobrando. Steven Tyler era o próprio entretenimento em forma de gente. Corria de um lado pro outro, fazia malabarismos com o microfone, interagia com o público e ainda provou que, apesar do histórico de abusos de drogas, continuava com a voz potente gritando e cantando todas as músicas no tom.

'Dream On' um dos destaques do show. -  Fonte: G1

O show teve alguns acontecimentos inusitados: Em algum momento alguém jogou uma bandeira da Argentina na passarela do palco. Steven Tyler pegou a bandeira e o público vaiou, mas percebendo a ‘trollagem’ do cidadão, o vocalista jogou-a no chão e foi aplaudido por todos (essas rixas que nunca acabam...). 
Fãs de futebol também resolveram arriscar e jogaram uma bandeira do Atlético Mineiro que o vocalista enrolou nas costas e provocou histeria nos torcedores e gritos de ‘NÃÃÃOO’ em quem era de outro time (É o país do futebol, óbvio que uma coisa dessas sempre acontece). 

E quem estava lá no show, mas um pouco ‘resistente’ ainda, provavelmente se desmontou em lágrimas com o combo “Livin’ on the Edge” e a épica “I Don’t Wanna miss a thing”, cantada pelo estádio inteiro com os celulares em punho (porque isqueiro já é passado, infelizmente). Você que adora exaltar sua masculinidade e que estava em algum show da turnê do Aerosmith: Pode assumir que você deu uma choradinha nessa hora que nós entendemos. 

“Walk This Way”, outro grande sucesso, encerra a apresentação antes de a banda voltar para o primeiro bis. Um piano branco é colocado na passarela e Steven Tyler surge para tocar ‘Dream On’, que entrou fácil na lista de pontos altos da noite, pois minutos depois, Joe Perry se juntou ao vocalista e além de fazer sua guitarra chorar com tanto feeling, ainda vestia uma camiseta do Flamengo, pra delírio da maioria dos fãs. 

Quase no finalzinho do show, Steven Tyler, faceiro, pergunta ao público que música que eles querem ouvir. Uns disseram “ANGEL”, outros “AMAZING”, poucos “HOLE IN MY SOUL” e a maioria “CRAZYYYY...”. Dito e feito. Satisfizeram o desejo das 25 mil pessoas que estavam no estádio e mandaram ver a música desejada, que não é preciso nem dizer que foi cantada a plenos pulmões pelos presentes.

Fonte: G1

Pra encerrar com classe, “Mama Kin” foi a escolhida pelo Aerosmith pra terminar de quebrar tudo de uma vez.. Agora o clima era de festa, de bagunça, de rock’n’roll. Fãs se descabelando e gastando o restinho das energias que tinham, gente cantando, gente dançando, gente gritando, gente enlouquecendo... Um daqueles momentos para celebrar a vida e a música bem feita. 

Depois de uma apresentação de duas horas, a banda foi merecidamente ovacionada por longos minutos. É... Infelizmente o sonho tinha acabado e era a hora de todos irem embora, mas agradecidos por terem participado de um show que vai ficar na memória de todos aqueles que curtem Hard Rock de qualidade.

Há quem diga que essas bandas ‘velhas’ são decadentes, que não fazem mais sucesso como antes, que só estão enrolando o público... Mas sempre tem um crítico pra ficar de ‘mimimi’, né? Deixem que falem. Enquanto estiverem na ativa fazendo os fãs felizes, pouco importa o resto. A música agradece de coração a essas ‘bandas velhas e decadentes’. 



Whitesnake – Setlist

Give Me All Your Love
Ready An' Willing
Love Ain't No Stranger
Is This Love
Slide It In/Slow An' Easy
Love Will Set You Free
Pistols At Dawn (duelos de solos de Doug Aldrich e Reb Beach)
Steal Your Heart Away (solo de bateria de Tommy Aldridge)
Bad Boys
Here I Go Again
Still Of The Night
Burn/ Stormbringer

Aerosmith – Setlist 

Eat the Rich
Love in an Elevator
Toys in the Attic
Oh Yeah
Pink
Dude (Looks Like a Lady)
Rag Doll
Cryin’
Last Child
JadedCombination
What It Takes
Livin’ on the Edge
I Don’t Wanna Miss a Thing
No More No More
Come Together (Beatles cover)
Mother Popcorn
Walk This Way

ENCORE
Dream On
Sweet Emotion

ENCORE
Crazy/Mama Kin



Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!