Desvendando Hello Fellas - Coyotes California

11:04 AM


Por: Ingrid Natalie (@ingridnatalie) e Helena Lucas (@Ameninavelha)

Edição: Fernanda Cristina (@femalerocksquad)

Se você já é um dos nossos 38 leitores (ainda esperamos que sejam mais!) Ou um forasteiro que caiu aqui pesquisando coisas como ‘Restart Lixo’, ‘desenhos de mulheres rockeiras gostosas’ (sim, tem gente que cai aqui procurando isso, acredite se quiser!), mas que veio pra ficar, então já deve conhecer a banda que tivemos a honra, o luxo e a cara-de-pau de entrevistar novamente!

A banda Coyotes California finalizou a gravação do novo álbum “Hello Fellas” pela gravadora Pisces Records, este trabalho será o sucessor de “Como as mulheres” (2008).

Nossa equipe competente participou de um dos ensaios da banda em Maio, aonde os caras apresentaram todas as músicas do novo disco! O que podemos dizer é que pra quem já ouviu o som deles, pode ter certeza que o mesmo groove, slaps de baixo, guitarra ritmada e tudo foi encontrado no primeiro lançamento, ainda se mantém no recente – para a alegria geral dos apreciadores de plantão!

Trocamos uma ideia também com o vocalista, Falcão Moreno, que soltou o verbo e revelou tudo sobre esta nova empreitada da banda! Deleitem-se com a entrevista!

FRS: A banda já está com o novo álbum "Hello Fellas" pronto, como foi todo o processo de gravação no geral?

Falcão: Orgásmico! Pudemos acompanhar quase todo o processo, principalmente eu (Falcão), que além de gravar, acompanhei a gravação de todos e participei também da mixagem do álbum.

Decidimos gravar no Estúdio El Rocha – de onde tínhamos boas referências – e tivemos a felicidade de encontrar o Fernando Sanches para ser o Engenheiro de Som de todo o cd. Ele conseguiu captar rapidamente a pegada da banda e nos fez perder menos tempo achando os timbres que queríamos de forma muito simples e rápida.

Tentamos aproveitar ao máximo os recursos que tínhamos ao nosso alcance e que o estúdio nos ofereceu. Trabalhamos com timbres e texturas diferentes em músicas bem variadas. Não é um álbum complexo, mas também não o acho simples. Há nele muita variação de tempo, em algumas oportunidades na mesma música, muito groove, slap, solo e em algumas músicas muitas vozes e guitarras.

FRS: Qual a razão da mudança do nome do primeiro álbum de "Como as mulheres" para "Hello Fellas" sendo que algumas músicas do primeiro disco estão neste novo? E a banda vê como 2 álbuns totalmente diferentes?

Falcão: São 2 álbuns diferentes. Na verdade, “Como as Mulheres” é mais uma demo. Tínhamos 7 músicas quando a gravamos. Precisávamos ter alguma coisa urgentemente na época, pra poder mostrar para as pessoas e pra poder tocar. Não teve um critério para selecionar as músicas. Era o que tínhamos na mão rsrs. Fomos ao estúdio Diesel, e simplesmente gravamos sem muita frescura. Para a nossa surpresa, ficou muito boa a gravação e por isso, decidimos criar uma capa e contracapa – feita pelo nosso amigo grafiteiro e tatuador FAME – e lançá-lo em forma de um EP. Somos gratos a Paulo Brancaccio pela gravação e pela amizade durante todos esses anos.

Em “Hello Fellas” o processo foi diferente. Tínhamos as seis músicas da demo “Como as Mulheres” mais dez inéditas. Achamos que todas as músicas tinham qualidade e decidimos gravar um álbum completo. Inicialmente iríamos aproveitar quatro músicas da demo. Cortamos uma de última hora e ficamos com três mais nove inéditas, somando 12 faixas para o nosso primeiro álbum oficial.

FRS: A versão original de "Miss Sexual" não continha o solo de saxofone, porque a banda decidiu adicionar o instrumento nessa nova versão?

 Falcão: Miss Sexual é uma música poderosa e que funciona muito bem ao vivo, além de ter um dos nossos temas prediletos. Talvez seja a música que mais se aproxima do funk que admiramos o funk de James Brown, de Parliament/Funkadelic e do Red Hot Chili Peppers. Adoramos tocá-la e cada vez que a tocamos, fazemos algo diferente.

Antes de começar a gravação, achei que um solo de sax no início da segunda parte ficaria perfeito. Foi o que aconteceu. Thiago dos Passos (primo do Cássio) foi ao estúdio e de improviso, fez a magia acontecer. Gostamos muito de instrumentos de sopro e o sax deu um toque especial a essa música.

FRS: A letra de "O grande dia" conta a história de um homem que decide ser livre e seguir seus instintos. Este personagem existe de verdade?

Falcão: Sim, sou eu ahahaha...Escrevi essa letra em um momento meio tumultuado, porém de muito aprendizado na minha vida. Uso esse tipo de escrita em algumas músicas do Coyotes California. São pequenas histórias que se unem e tornam uma só. Na maioria das vezes, escrevo a letra após ouvir a música e nesse caso em específico, eu não tinha como não me sentir inspirado após ouvir o arranjo feito pelo Cássio do que viria a ser “O Grande Dia”.

FRS: Vocês escolheram como primeiro single a música "O Poder" e fizeram um clipe da música, porque e como foi gravar esse clipe?

Falcão: O Poder é a música que abre o álbum e tem alguns elementos que achamos que definem bem algumas influências que nos cercam e consequentemente estão presentes em Hello Fellas. Tem peso, groove, guitarra limpa, guitarra suja, slap, uma boa letra para um bom tema e um final instrumental que me lembra algo de Deconstruction (projeto de Dave Navarro e Eric Avery do Jane´s Addiction).

Para gravar o clipe, estávamos procurando uma fábrica no estilo abandonada e de última hora, caiu do céu o espaço na Casa das Caldeiras, antiga fábrica Matarazzo, localizada na zona oeste de São Paulo. Gravamos em apenas um dia vários takes em dois lugares diferentes e o resultado foi bem proveitoso, pois o lugar é muito estiliso.

Ainda não vimos o clipe editado e por esse motivo ainda não podemos criticar o diretor rsrsrs...

A pré-venda de Hello Fellas já começou pelo site da gravadora Pisces Records, você pode encomendar clicando aqui.

E veja um pouquinho do que a nossa equipe gravou do ensaio da banda:

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!