Level 11 lança o segundo álbum de inéditas, 'reXista!'

8:00 PM

Level 11 - foto: divulgação 

Lançamento marca o início de uma fase próspera para banda que conseguiu emplacar algumas músicas na programação da KISS FM. 


Por: Ingrid Natalie (instagram: @femalerocksquad) 

E a espera acabou! Após dois anos de produção, Level 11 apresentou para o mundo ‘reXista!’, o seu segundo e mais íntimo álbum de estúdio da carreira. São dez faixas integralmente escritas e produzidas pelo quarteto paulistano e expressam a esperança de dias melhores e a angústia gerada pela pandemia. É possível perceber a colaboração mútua entre todos os integrantes durante a composição do disco. Eles iniciaram o álbum buscando a raiz da Level 11. No entanto, todos foram impactados com esse período tão delicado e então, o quarteto se apegou nas emoções, receios, medos e o desejo de criar algo que realmente registrasse o íntimo de cada membro da banda.

Independente de referências, por isso no álbum ‘reXista!’ Você escutará diversos estilos e pegadas sonoras. Assim como o próprio nome do álbum traz a visão de RESISTIR a tudo o que está acontecendo e estão lhe oferecendo para que possa realmente EXISTIR e ser alguém livre neste caos. 


O álbum abre de forma primorosa com ‘reXista!’. Um som pesado, visceral e que chama o ouvinte para entrar nessa viagem sonora. Na sequência, mantendo o mesmo peso nos riffs de guitarra, vem “Assuma o Risco”. Ao ouvir você percebe uma forte influência do rock brasileiro dos anos 80. A letra é um convite para que você se desafie e não deixe que as pessoas ditem o rumo da sua vida. 

“Nada Além de ser feliz” é um punk rock raiz, com guitarras sujas e rápidas, bateria e baixo de peso unido a uma temática alegre sobre superar o passado e trazer os aprendizados para o presente para viver com mais leveza. A faixa tem participação do músico Nandão SG.


"Nada No Espelho" começa bem cadenciada com guitarra e bateria ditando uma sonoridade que vai crescendo e ficando mais pesada ao se aproximar do refrão. Destaca-se também a técnica vocal do vocalista Marcelo Júnior que explora outros lados de sua habilidade, como leves agudos e uma explosão vocal nas notas mais altas. Os primeiros acordes de "Nada No Espelho" surgiram a partir de uma ideia do Marcelo no violão e voz. 


“Dessa Vez” é um rock pop muito agradável de ouvir. Uma música que fala de amor, mas também de muito autoconhecimento. Aqui você sente também uma inspiração das icônicas bandas brasilienses dos anos 80, como Capital Inicial, com uma pitada contemporânea. 

“Faça o Bem” se destaca por várias características. É uma música com momentos suaves, chegando a mais peso na guitarra já se aproximando do refrão e até com a participação do rapper Pachini fazendo sua poesia reflexiva. A letra é um verdadeiro choque de realidade para quem acredita que a bondade é apenas uma utopia. Apesar de tanta maldade e hipocrisia, ainda existe o bem. Só basta querer fazer. 



“Não fique assim (Se Confia em Mim)” exibe uma experimentação da banda ao trazer o uso de sintetizador, a bateria direciona bem o ritmo e a guitarra chama atenção perto do refrão. É possível perceber uma inspiração no indie rock. 

A faixa “Verônica” tinha sido escrita há 20 anos antes de sua gravação e foi baseada em uma personagem real e que ganhou essa homenagem devido a enorme importância na vida do frontman Marcelo Júnior. A melodia suave e encantadora te transporta para uma atmosfera de calma e serenidade. O refrão é daqueles que grudam na sua cabeça. A composição também conta com a colaboração do músico Thiago Martins que realizou um solo extremamente marcante.


"Só um motivo" é uma reflexão totalmente intimista de uma pessoa que passa pela dualidade de querer sair, deixar a falta de coragem para trás e viver, mas ao mesmo tempo não consegue encontrar forças e ter uma razão para sorrir. No final, esse mesmo personagem entende que para vencer esse obstáculo "a luta começa de dentro pra fora", como diz na letra, e que o desânimo não pode ser maior do que o dom da vida e do tempo presente. A sonoridade da música traz uma atmosfera mais leve, bastante inspirada no indie rock e folk. Desta vez, a banda optou por criar um som no qual principalmente violão e bateria conversassem mais suavemente. 


O álbum não tem intenção de ser conceitual, mas é interessante ver que ao longo da audição, percebemos que há um personagem que lida com sentimentos conflitantes na primeira parte, reflexivos no meio e chega à realidade com “Você Venceu”, uma combinação entre rock e MPB ilustrando a tranquilidade do protagonista do álbum. Por fim, o segundo álbum da Level 11 mostra várias facetas dos músicos que estão fortemente entrosados e que de fato desejam tocar a vida das pessoas através da poesia e do som. 

Ouça o álbum na íntegra:


Posts Que Talvez Você Goste

0 comentários

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!