Greta Van Fleet lança disco de estreia

12:00 PM


"Anthem Of The Peaceful Army" traz 11 faixas que te fazem viajar no rock'n'roll dos 70 com uma pitada contemporânea

Texto: Ingrid Natalie (instagram: @femalerocksquad)

Após uma longa espera, Greta Van Fleet finalmente lançou na última sexta-feira, 19/10, "Anthem Of  The Peaceful Army". O novo trabalho de estúdio do quarteto de Michigan era aguardado com muita expectativa, uma vez que  a banda recebeu várias críticas positivas a cerca do EP,  "From The Fires" e as inesgotáveis comparações com Led Zeppelin. Os irmãos Kiszka (Josh nos vocais, guitarrista Jake e o baixista Sam) e o baterista Danny Wagner permanecem enraizados no rock clássico, mas eles conseguem colocar sua própria marca no som vintage. Evidentemente, eles usam suas influências em suas mangas, mas eles merecem crédito por escrever qualquer número de músicas que teriam sobrevivido nos anos 60 ou 70.

Vamos começar por "When The Curtain Falls", primeiro single divulgado. É praticamente impossível você não se empolgar com a excelente linha de guitarra e bateria desta música. Baixo tem uma forte presença, principalmente no refrão. Bem agitada e com muita influência do rock'n'roll setentista, essa faixa traz a marca registrada da banda. A letra é uma crítica clara às "futilidades" de Hollywood e a sede por fama. A música também ganhou um videoclipe. Assista:


"Lover, Leaver (Taker, Believer)" também tem uma sonoridade mais agitada e é definitivamente um dos destaques do álbum. Não por acaso ganhou uma versão estendida. Aqui podemos perceber que a banda começa a pisar no terreno do rock progressivo. Continuando a linha rock progressivo ala Rush, encontramos "The Cold Wind", certamente irá agradar a todos roqueiros de plantão. 

"Watching Over" é uma verdadeira reflexão sobre como a humanidade afeta a natureza, isso tudo aliado a um riff de guitarra e refrão marcantes. "Brave New World"  também segue a mesma temática e causa arrepios com a virtuosidade de Sam Kiszka no baixo, definitivamente hipnotizante. "Age Of Man" chega para completar a abordagem de amor e unidade. Sentimos que nestas três músicas a banda se liberta de qualquer tipo de comparação com ícones do rock.

Ao ouvir "Anthem", você facilmente consegue visualizar uma roda hippie com pessoas trajadas de flores emanando positividade e união. A atmosfera acústica e suave é o momento de reflexão do álbum. O lindo coral no fim da música é a cereja do bolo. O mesmo sentimos em "You're The One", violão predomina forte e Josh Kiszka exibe um vocal mais vulnerável e contido. "The New Day" automaticamente coloca um sorriso no rosto de escuta, uma harmonia impressionante. É tranquila, dançante e alegre. Tudo ao mesmo tempo. "Mountain Of The Sun" mistura um som vintage com uma atmosfera mais contemporânea.


Capa do disco "Anthem Of The Peaceful Army" 
"Anthem Of The Peaceful Army" não tem intenção de ser um álbum conceitual, mas a forma como as faixas conversam entre si é simplesmente magistral. Percebemos claramente a pureza e o talento do quarteto. Além disso, há muito espaço hoje para o rock'n'roll com referências setentista. Dito isso, ficamos felizes em afirmar que "Anthem of the Peaceful Army" definitivamente se mostra como um lançamento de estréia sólido e até mesmo ambicioso para a banda.

Ouça o álbum na íntegra: 

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!