Foo Fighters e Queens Of The Stone Age protagonizam noite histórica em São Paulo

1:00 PM

As duas bandas apostaram nos seus maiores hits e nos novos trabalhos em dois shows eletrizantes do mais puro rock'n'roll.

Texto: Ingrid Natalie (instagram: @femalerocksquad)

Não foi nenhuma surpresa quando Foo Fighters e Queens Of The Stone Age anunciaram uma turnê conjunta. As bandas cultivam uma amizade de muitos anos, tão verdade que Dave Grohl participou no álbum "Songs For The Deaf" lançado em 2002 pelo QOTSA. E ele, ao lado de Josh Homme, integram o Them Croked Vultures, que conta também com John Paul Jones. As duas bandas também já participaram de importantes festivais no Brasil. Foo Fighters tocou no Rock In Rio (2001) e no Lollapalooza Brasil (2012). Já Queens Of The Stone Age se apresentou no Rock In Rio (2001 e 2015), SWU (2010) e Lollapalooza Brasil (2013). Agora, as duas bandas unem forças para shows históricos no país. Nesta última terça-feira, 27/2, foi a vez do público paulista, que lotou o Allianz Parque, conferir as incríveis performances.

Ego Kill Talent - Foto: Ingrid Natalie
A banda brasileira Ego Kill Talent abriu a noite e agradou o público que ainda lotava o Allianz Parque. Eles realizaram um show de abertura empolgante e pra metaleiro nenhum botar defeito. No setlist, faixas do primeiro registro de estúdio como “Still Here” e “Last Ride”. A performance durou em torno trinta minutos, o suficiente para aquecer o público para o que viria a seguir.

Queens Of The Stone Age - Foto: Ingrid Natalie
Queens Of The Stone teve uma performance coesa e muito entrosada. “If I Had A Tail” abriu os serviços do show que começou pontualmente às 19h. A banda deu sequência com s soturna“My God Is The Sun”, faixa do álbum "…Like Clockwork" (2013). "I Sat By The Ocean" também animou os fãs. Do mais recente registro de estúdio, "Villains" (2017), eles adicionaram quatro faixas ao setlist: “Feet Don’t Fail Me”, a dançante “The Way You Used To Do”, “The Evil Has Landed” e“Domesticated Animals”. As novas músicas foram tão bem recebidas pelo público quanto os hits “No One Knows”, “Little Sister”,“Make It Wit Chu” e "Go With The Flow".

O QOTSA mostrou entrosamento no palco e, apesar da recente polêmica envolvendo Josh Homme, que chutou uma fotógrafa num dos shows da banda em Dezembro, o vocalista demonstrou carisma e gingado, pedindo palmas dos fãs e entretendo a galera durante a apresentação. Com setlist harmônico, o quinteto californiano percorreu entre o mais pesado do stoner ao som dançante que predomina no último lançamento da banda.


Foo Fighters tem sido uma das bandas de rock mais consistentes das duas últimas décadas. Eles tem tantos hits colecionados na carreira, é inegável o talento e a paixão nas músicas. Porém, a banda aposta em "Run", primeiro single do mais recente álbum "Concrete And Gold" (2017) para dar o chute inicial ao show pontualmente às 20:50. Escolha perfeita considerando o crescimento dos acordes de guitarra até uma explosão de peso na primeira parte da música. Sem tempo a perder, eles emendam uma sequência que empolgou todo público presente: "All My Life", "Learn To Fly" e "The Pretender". Uma verdadeira viagem respectivamente pelos álbuns "One By One" (2002), "There Is Nothing Left To Lose" (1999) e "Echoes, Silence, Patience & Grace" (2007). 

"The Sky Is A Neighborhood" proporcionou um dos momentos mais lindos do show com várias luzes dos celulares fazendo realmente alusão a um céu. Isso sem mencionar o fato de que a música ficou ainda mais grandiosa ao vivo com a presença de três backing vocals. "Rope" do álbum "Wasting Light" (2011) trouxe mais peso e energia para a apresentação que seguia em total sintonia com o público. O baterista Taylor Hawkins virou protagonista em "Sunday Rain" sendo literalmente levantado aos ares e mostrando todo seu virtuosismo na voz e no comando das baquetas do Foo Fighters.

Taylor Hawkins sendo elevado - Foto: Ingrid Natalie
"My Hero", um dos grandes clássicos do Foo Fighters, ganhou uma versão acústica linda. Veja um trechinho:


Dave Grohl não é considerado uma das pessoas mais simpáticas e carismáticas do rock'n'roll a toa. Ele interage com os fãs a todo momento através de olhares e se movimentando de um lado para o outro do palco com toda a disposição. Além disso, assim como no show em 2015, ele atendeu o pedido de um namorado que pediu a amada em casamento. E mesmo sendo um dos melhores frontman da atualidade, ele não busca todos os holofotes para si. Dave reservou uma parte do show para que todos os seus companheiros de banda se apresentassem. Chris Shiflett cantou "Under My Wheels" do Alice Cooper, seguido por um trecho de Nate Mendel arrasando no riff de baixo de "Another One Bites The Dust" do Queen. O tecladista Jaffee deu uma palhinha de "Miss You" do Rolling Stones. Pat Smear tocou "Blitzkrieg Bop" do Ramones.  Por último, mas não menos importante Dave fez uma "declaração de amor" a Taylor Hawkins que respondeu com "Love Of My Life" do Queen. Por fim, Dave assumiu a bateria e Taylor os vocais para a execução de "Under Pressure" cover do Queen com David Bowie. 

Dave Grohl na bateria - Foto: Ingrid Natalie
Deixando o romantismo de lado, "Monkey Wrench" veio com uma "voadora no lustre", colocando todos no haeadbanging. "Times Like These" deu a sequência ao lado de "Generator" e "Big Me", para a surpresa de muitos fãs saudosistas. Confira um trecho: 



Antes da pausa, teve a execução de "Best Of You" com várias placas escritas "oh" para imitar o coro da música. O encore teve três músicas: "Dirty Water", "This Is A Call" e finalizando com a lindíssima "Everlong" . Uma noite épica e histórica para rock'n'roll, simples assim.

Foo Fighters e Queens Of The Stone Age ainda se apresentam essa quarta-feira, 28/02, em São Paulo. Depois, as bandas seguem para Curitiba (02/03 - Pedreira Paulo Leminski) e Porto Alegre (04/03 - Estádio Beira-Rio). 

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!