Sala Espacial: 'Quando menos percebemos a banda estava formada e com muitas músicas para serem gravadas'

3:32 PM


Música e arte são a essência desses incansáveis músicos que agora seguem com um novo projeto, 
a Sala Espacial.


A lenda da ave mitológica Fênix diz que quando ela perdia a vida, entrava em auto-combustão e, tempos depois , ressurgia das próprias cinzas. E o que isso tem haver com a banda Sala Espacial? Muitas coisas! Tudo começou no dia 12 de fevereiro de 2014 quando 'Casa Moxei', propriedade que servia como moradia, estúdio e casa de shows, pegou fogo em razão de um curto circuito. Ninguém se machucou, no entanto, instrumentos, computadores, estoques de CDs e livros, incluindo também coleções pessoais de discos dos residentes se perderam no meio das cinzas. O acontecimento não desanimou os músicos, Teco Martins, Toni Rastan, Rodrigo Caggegi, Alexandre Iafelice, Pedro Iafelice e Bóris. Eles reuniram forças  e assim  se formou a Sala Espacial.

O público já conhecia Teco, Caggegi, Pedro Iafelice e Alê Iafelice da banda Rancore (que encontra-se em hiatus indeterminado), e agora, eles juntamente com Toni Rastan e Bóris criaram uma sonoridade totalmente diferente, explorando vários estilos musicais e até o lado mais experimental deles. A banda lançou dois EPs que levam o nome da residência tomada pelas chamas naquele dia fatídico. Entrevistamos o baterista Ale Iafelice que nos detalhou sobre o início da banda e dos planos para o futuro. Leia abaixo:

FRS: Primeiramente, como aconteceu o surgimento da banda?

Ale: Resumindo, a banda se formou após um incêndio. Como algumas pessoas sabem, nossa casa pegou fogo em fevereiro de 2014, incinerou a sala e o estúdio, tudo que estava nos dois cômodos virou pó. Após esse acontecimento, eu, Caggegi, Teco, Pedro e Toni decidimos nos unir, formar a Sala Espacial e seguir em frente, transformar toda aquela tragédia em um momento de aprendizado, reconstrução, recriação e renovação. Foi um processo muito natural e místico, quando menos percebemos a banda estava formada e com muitas músicas para serem gravadas.

FRS: Quais são as influências e o diferencial da Sala Espacial?

Ale: As influências são infinitas, a cada momento se renovam e reciclam. Cada um da banda traz um pouco do seu mundo, que misturados formam a Sala Espacial. Uma pegada meio samba marciano.

FRS: Como você classifica o estilo musical da banda? E por que o nome Sala Espacial?

Ale: Sinceramente acho muito difícil definir um estilo, viajamos por vários tipos de som, sem se prender nesse ou naquele.Tínhamos guardado na memória o nome "SALA ESPECIAL" a pelo menos uns 7 anos. Eu e o Teco frequentávamos muito o ateliê do Padre (artista e nosso amigo de infância), era um lugar muito doido, muita energia, me lembro do nome ter surgido nessa época, em algum desses roles. Após o incêndio, assim que decidimos montar a banda, esse nome já foi sugerido e aprovado por todos. Pouco tempo depois descobrimos que existiu uma banda com esse mesmo nome nos anos 80, e por isso desencanamos dele. Foi aí que a Amanda (namorada do Teco) sugeriu o nome "SALA ESPACIAL" ao invés de "SALA ESPECIAL". De cara todos curtiram muito a ideia e foi assim que o nome chegou para ficar.

FRS: Quais experiências que você, Teco e Caggegi trazem do Rancore para esse novo projeto?

Ale: Acho que nossa experiência e "bagagem" acabam contribuindo de algumas formas para o fortalecimento da banda, mas independente disso, estamos dando nossos primeiros passos, é tudo uma grande novidade. Estamos passando por todo processo de criação, gravação e ensaio, de um jeito totalmente diferente do que já vivenciamos antes. BEM LEGAL!

FRS: Sobre o processo criativo, um fica responsável pela letra e outro melodia ou é um processo colaborativo?

Ale: Na Sala Espacial todos tem espaço para criar, compor e escrever. No EP1 que lançamos recentemente, tem musicas de diferentes integrantes da banda e também musicas criadas em um processo colaborativo. No final das contas acaba sendo uma grande união, todos participam de alguma forma na criação e arranjo dos sons.


"Na Sala Espacial todos tem espaço para criar, compor e escrever"
FRS: O que empolga vocês ao ouvir o EP de estreia pronto e recebendo boas críticas? Vocês encaram como um projeto desafiador?

Ale: O que empolga é justamente ver essa boa receptividade das pessoas com o som. Agradeço muito por ver tanta gente se identificando e curtindo a banda. Acho que formar uma banda e ousar em fazer dela sua vida, com alma e coração, cultivando algo que você realmente acredite e se orgulhe, é um GRANDE desafio.

FRS: Pode nos revelar alguns planos de curto prazo? Vocês pretendem fazer shows pelo Brasil e lançar um álbum completo?

Ale: O próximo passo a curto prazo é lançar o EP2 CASA MOXEI, e na sequência começar a fazer shows por esse mundão. Vamos lançar o álbum completo sim, estamos na fase final da produção, mas antes de lançá-lo ainda temos muito trabalho pela frente. 

Aonde encontrar a banda:
Facebook: https://www.facebook.com/salaespacial
Soundclound: https://soundcloud.com/salaespacial

Posts Que Talvez Você Goste

1 comments

  1. gratidão pela matéria quero muito encontrá-lxs no show na moxei!!!! VENHAM!!!!!!!!!!!!!!!! beijos teco (valeu merrmo!!!!

    PAZ

    ReplyDelete

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!