VARNA avisa que "desta vez, é pessoal"

10:24 PM

VARNA: Rossen Pinkas (guitarra), Tiana Woods (vocal) e Rob Shin (bateria)
Texto: Ingrid Natalie (@ingridnatalie)

Sabe quando você ouve uma banda pela primeira vez e fica com ela na cabeça por vários dias? Provavelmente essa será a sensação quando conhecer o grupo VARNA. O trio, oriundo de Los Angeles, iniciou as atividades em 2010 e conta em sua formação com Rossen Pinkas (guitarra), Tiana Woods (vocal) e Rob Shin (bateria). A sonoridade do grupo transita entre o hard rock e vocais melódicos, você talvez perceba algumas semelhanças com as bandas Halestorm e Evanescence. Em fevereiro deste ano eles lançaram o EP de estreia intitulado "This Time, It's Personal". São três faixas impactantes que mostram todo virtuosismo desse grupo que vai certamente alcançar sucesso internacional.

"Down" é o carro-chefe do EP e merece o título por resumir em 4 minutos toda a essência da banda. Começa bem vibrante com riffs pesados de guitarra, bateria impecável e a voz suave e aveludada da Tiana é absolutamente marcante, o refrão "I'm going down, I'm going down" gruda de uma forma que na segunda estrofe você já se pega cantando mesmo que involuntariamente.

"My Heart" te traz um lado mais reflexivo do trio. A guitarra desacelera um pouco, no entanto, a distorção pesada se apresenta no refrão e na metade da música Rossen nos presenteia com  com um excelente solo. Mas, o destaque desta faixa segue para Tiana, dá para cada verso da letra por causa da elegante interpretação exibida pela vocalista.

"Running Away" é a mais pesada, um chute na cabeça que te faz perder a consciência com os riffs de Rossen e o grande destaque vai para o baterista Rob Shin mostrando um talento de encher os olhos.

Em apenas duas semanas após o lançamento do single "Down" a banda apareceu em web radios por toda Inglaterra e Estados Unidos. Quem nos conta mais sobre esse momento de ascensão do VARNA é a simpática vocalista Tiana Woods, confira: 

FRS: Como vocês montaram a banda?

Tiana: Rossen e eu nos conhecemos em 2009, quando ele era um eletricista  e veio instalar um ventilador no meu apartamento. Criamos "Living Eulogy" no início de 2010. Passamos por um monte de membros, alterações banda, gravando a música com alguns produtores, fazendo shows - como toda banda em Los Angeles - depois encontramos Rob em 2012, decidimos formar um trio.

FRS: Vocês todos têm influências diferentes de Mariah Carey a Slayer. Foi um processo fácil de encontrar o som que serviria perfeitamente na banda?

Tiana: Quando Rossen e eu começamos a tocar juntos, foi muito assustador, porque com essas influências, não tínhamos  NENHUMA IDEIA de que resultaria disso. Poderia ter sido uma completa porcaria! Felizmente, estávamos na mesma vibração sobre o tipo de banda que queríamos ser. Nossa luta foi encontrar um produtor que poderia nos ajudar com o som desejávamos ter. Uma vez que economizamos dinheiro suficiente para trabalhar com meu amigo, Erik Ron (I the Mighty, Panic at the Disco, Soasin), tudo veio junto. Foi um sonho tornado realidade para nós depois de tantos fracassos. 

FRS: Como é o processo de fazer música para a Varna? Quem é o responsável pelas letras e melodia?

Tiana: É um processo libertador maravilhoso, louco e emocional. Nós todos nos importamos tanto com a nossa música que o processo pode ficar muito louco em uma sessão ou pode ir muito suavemente. Eu sou a compositora da banda, então eu escrevo as letras e os vocais. Rossen traz a música. Rob tem sempre sua contribuição para backing vocals e uma ótima maneira de fazer a música melhor.

Capa do EP "This Time It's Personal" lançado em 3 de Fevereiro de 2013

FRS: Conte-nos mais sobre o processo de gravação de seu EP de estreia "This Time, It's Personal". Quanto tempo demorou para ser concluído?

Tiana: Nós gravamos em duas partes. Nós gravamos a primeira música 'Down' e, em seguida, quatro meses depois, gravamos 'My Heart 'e' Running Away '. Nesse tempo, tivemos dois baixistas diferentes nas faixas que se juntaram a banda e, em seguida, acabaram deixando.



FRS: Quais foram as principais influências para o EP? 

Tiana: Todos nós temos individualmente os artistas que nos inspiram, mas nunca sentamos e dissemos: "Nós queremos que o álbum soasse como fulano de tal" . Somos muito orgânicos em relação a isso. Qualquer coisa que surgir, é o que Varna é.

FRS: Você disse uma vez que VARNA é uma maneira de viver seus sonhos. Qual é a sua maior expectativa com o projeto? 

Tiana: Somos todos adultos com responsabilidades na vida, além de estar nessa banda. Nossa maior expectativa é de fazer uma carreira com essa banda. Eu acho que é o sonho de todos, para fazer o que nos torna felizes. Esta é a nossa felicidade.

FRS: Em um curto espaço de tempo você tem que tocar nos locais mais Importante em LA, como House of Blues e The Viper Room. Será que incentivá-lo a ir mais longe?

Tiana: Sim, somos incrivelmente sortudos em poder tocar nesses lugares icônicos. Estamos no nosso último mês de nossa turnê no The Good Hurt  em Los Angeles, o que é uma honra incrível para qualquer banda. Nós somos tão gratos que as pessoas querem nos ouvir com regularidade.

FRS: Se a Varna pode escolher tocar em qualquer país do mundo, que país seria?

Tiana: Nós gostaríamos de jogar na Austrália, Brasil, Europa .. tantos lugares ... Brasil e Europa tem festivais incríveis de rock, que a América do Norte não tem muito.

FRS: Você pode enviar uma mensagem para o seu futuro público brasileiro?

Tiana: Esperamos que vocês gostem do EP "This time, It's Personal" e estaremos aguardando o seu convite para tocar lá um dia! Nós não podemos esperar para ouvir de nossos fãs brasileiros! Por favor, escrevam para nós, que gostamos de ouvir seus comentários e mensagens!

________________________________________________________________________________
ENGLISH VERSION


VARNA says that "this time, it's personal"

By: Ingrid Natalie (@ingridnatalie)

You know when you hear a new band for the first time and can't get enough of it? You'll probably feel the same listening to VARNA. The Los Angeles trio started their activities in 2010 and counts on the line-up with Rossen Pinkas (lead guitar), Tiana Woods (vocals) and Rob Shin (drums). The sound of the group goes from hard rock to the melodic vocals, you'll probably notice some similarities with Halestorm and Evanescence. In February of this year they released their debut EP entitled "This Time, It's Personal". It's a three track record very impactful which shows all the virtuosity of this band that is certainly going to reach internacional career.

"Down" is the flagship of the EP and deserves the title in four minutes to summarize the essence of the band . Begins and vibrant with heavy guitar riffs , drums and flawless , velvety smooth voice of Tiana is absolutely remarkable , the chorus " I'm going down , I'm going down " in a way that sticks in the second stanza you ever catch yourself singing even if unintentionally .

"My Heart" takes you to a more reflective side of the trio. The guitar slows down a little bit, however , the heavy distortion shows up in the chorus and in the middle of the song Rossen presents us with a great solo . But the highlight of this track goes to Tiana, gives each verse of the letter because of the elegant interpretation displayed by the singer .

"Running Away" is the heaviest , a kick to the head that causes you to lose consciousness with Rossen's riffs and the highlight is the drummer Rob Shin showing a talent to behold .

In just two weeks after the release of the single " Down ", the band appeared on web radios throughout England and the United States. Who tells us more about that moment ascending VARNA is the friendly singer Tiana Woods , check it out:

FRS: How did you guys put the band together?

Tiana: Rossen and I met in 2009, when he was an electrician installing a fan in my apartment. We created Living Eulogy in early 2010. We went through a lot of band member changes, recording music with a couple producers, playing shows--like every band in Los Angeles-- then after we found Rob in 2012, we decided to stay a three piece.

FRS: You all have different influences from Mariah Carey to Slayer. Was it an easy process to find the sound that would suit the band perfectly?

Tiana: When Rossen and I first started playing together, it was pretty scary because with those influences, we had NO IDEA what would come out of it. It could have been complete crap! Thankfully, we were both on the same page about what kind of band we wanted to be. Our struggle was finding a producer who could assist us with the sound we knew we wanted out of this band. Once we saved up enough money to work with my friend, Erik Ron (I the Mighty, Panic at the Disco, Soasin), everything came together. It was a dream come true for us after so many failures.

FRS: What's the process of making music like for Varna? Who's the responsable for the lyrics, and melody?

Tiana: It's a wonderful, crazy, emotional, liberating process. We all care so much about our music that it can get really crazy in a session or it can go really smoothly. I am the songwriter of the band, so I write the lyrics and vocal parts. Rossen brings the music. Rob always has his input for backing vocals or a great way to make the song better.

FRS: Please tell us more about the recording process of your debut EP "This Time, It's Personal". How long did it take to be finished?

Tiana: We recorded it in two parts. We recorded the first song 'Down' and then 4 months later we recorded 'My Heart' and 'Running Away'. In that time, we had two different bassists on the tracks who joined the band and then ended up leaving.

 FRS: Which were the main influences for the EP?

Tiana: We all individually have artists that inspire us, but we never sat down and said 'We want the album to sound like so and so". We are very organic with that. Whatever comes out, is what VARNA is.

FRS: You once said that VARNA is a way to live out your dreams. What is your greatest expectation with the project?

Tiana: We are all adults with responsibilities in life in addition to being in this band. Our greatest expectation is to make a living and career for ourselves with this band. I think that's everyone's dream, to do what makes them happy. This is our happiness.

FRS: In a short time you got to play at the most important venues in LA, like House of Blues and the Viper Room. Does it encourage you to go further?

Tiana: Yes, we are incredibly lucky to play such iconic places. We are in our last month of our residency at The Good Hurt in Los Angeles, which is an incredible honor for any band. We are so thankful that people want to hear us on a regular basis.

FRS: If Varna could choose to play in any country of the world, what country would it be?

Tiana: We would love to play in Australia, Brazil, Europe..so many places... Brazil and Europe have amazing festivals for rock music, which America doesn't have a lot of.

FRS: Can you send a message to your future Brazilian audience?

Tiana: We hope you like 'This Time, It's Personal' EP and we will be awaiting your invitation to play there one day! We can't wait to hear from our Brazilian supporters! Please write to us, we love to hear your comments and messages!

Official Website: http://www.varnaband.com/

Posts Que Talvez Você Goste

0 comments

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!