PriestSnake - A 'dobradinha' que estremeceu a capital!

12:26 PM





Última quinta feira, dia 15/09, Brasília – DF. Para alguns, um dia como qualquer outro! Para outros, um dia corrido e cheio de imprevistos! Para os fãs de um bom Hard Rock/Heavy Metal, foi um dia que ficou marcado para sempre na memória de todos aqueles que são admiradores genuínos de uma boa música pesada – Sim, meus caros! Whitesnake e Judas Priest separaram um lugarzinho em suas agendas lotadas de apresentações, para vir mostrar para os brasilienses como se faz um show de verdade! Aprendam com as vozes da experiência, crianças!



Os portões do Nilson Nelson abriram-se as 20h00 (ou em algum horário muito próximo disso) e logo os corredores e o ginásio foram tomados pelos gritos ensandecidos dos bangers de plantão que esperavam na fila uma eternidade! (Alguns estavam ali desde muito cedo, como verdadeiros fãs apaixonados!)

Cerca de 8 mil pessoas lotaram o local e esperavam ansiosamente o momento em que o sonho se tornaria real - Ver as duas bandas em cima do palco quebrando tudo!

Antes das apresentações começarem, os Roadies das duas bandas estavam acabando de arrumar os últimos detalhes do palco, o que gerou uma inquietação e uma expectativa imensa no publico – Até brincadeirinhas com os mesmos teve! (Pq gringo no Brasil é ‘estrela’, seja ele um faxineiro ou um Roadie que passa despercebido em outros países!)

As luzes se apagaram e “My Generation” do The Who começou a tocar – E o publico bradava “Whitesnake, Whitesnake, Whitesnake...” – Já que seria o primeiro show da noite!


Palco do Whitesnake - ansiedade a mil!


E então, depois de muitas luzes, fumaça e outros ‘efeitos-bacaninhas-pra-dar-um-clima’, finalmente a banda subiu ao palco! E a galera foi à loucura!

Sem mais enrolações, os caras mandaram “Best Years” logo de primeira pra animar o publico! É fato que David Coverdale sempre teve um dedo mágico para escolher os músicos que fizeram/fazem parte do Whitesnake! Com Reb Beach e Doug Aldrich nas guitarras e os novatos Michael Devin, Brian Tichy e Brian Ruedy, os fãs não tem do que reclamar, já que a banda segue no topo e com muita lenha pra queimar!

Em seguida veio uma enxurrada de clássicos como a energética “Give me all your Love”, o sucesso “Love ain’t no stranger” e é claro, a famosa e épica balada “Is This Love” que fez o ginásio inteiro (inclusive casaizinhos apaixonados) cantar em uníssono!


Clássicos da banda ainda enlouquecem o público!


Logo após o trio de músicas ‘indispensáveis’, chegou a vez dos caras mostrarem algo novo! As músicas de “Forevermore”, ultimo álbum lançado, não poderiam ficar de fora! “Steal Your Heart Away” e a faixa título, que David dedicou ao público e convidou todos a cantarem junto, entraram no setlist!

Além de cumprir o seu papel de frontman e atrair a atenção do publico muito bem, Coverdale, apesar dos 60 anos que completa semana que vem,  está em excelente forma física (palavra de quem ficou a 2/3 metros do cara e pode dizer que ele tá inteirão, mas isso é um mero detalhe que só interessa ás garotas)! O vocalista ainda arriscava um de seus famosos 'agudos' entre uma música e outra, enquanto fazia seus famosos gestos sugestivos com o pedestal!

Ainda teve tempo para uma pequena pausa e um “Guitar Duel” em que Doug Aldrich e Reb Beach provaram porque são dignos de carregar o título de guitarristas da cobra branca!


Doug Aldrich e Reb Beach


“Love Will set you free”, também do ultimo álbum, foi tocada e em seguida um solo de Brian Tichy ,que além de destruir na bateria, preparou o público para mais um momento épico da noite! Foi só a introdução de “Here I go Again” ser ouvida, que o ginásio inteiro cantou a plenos pulmões, com direito a celulares acesos e o que mais tivesse! “Still of the Night”, outra música obrigatória em qualquer show do WS que se preze, veio coroar o auge da empolgação da galera naquele momento! Haja coração e cordas vocais!


Brian Tichy destruindo na bateria


Observações a parte, há quem diga que a voz do Coverdale não é mais a mesma de antes, que ele já não tem mais forças e que até usou playback, já que todas as músicas foram tocadas em um tom abaixo! Mas ,pessoalmente falando, quem proferiu algum comentário parecido, só podia estar louco da cabeça! É fato que ele já não grita mais como há 20 anos, mas ele não precisa de certos artifícios quando vai mostrar para o publico porque ele é bom no que faz! Prova disso foi quase no fim da apresentação, quando ele cantou a capella um trecho de “Soldier of Fortune” (que arrancou uma lágrima solitária da autora que vos escreve!) e arranhou um “Obrrigadoo”, depois dos aplausos copiosos da multidão!


Coverdale sambando na cara dos detratores alheios mandando um "Soldier of Fortune" a capella


Para fechar a apresentação com chave de outro, “Burn” e “Stormbringer”, também parte do repertório da época do Deep Purple, foram executadas, deixando os fãs ‘das antigas’ em êxtase! E assim após 01h20 de show a banda deixa o palco debaixo de aplausos, gritaria, tietagem e afins! Hora do Judas Priest assumir o comando!


Epitaph - por trás do painel uma surpresa....


Uma pequena pausa foi feita antes dos “Metal Gods” subirem ao palco. A cada minuto que se passava, a ansiedade aumentava. Finalmente, depois de meia hora de espera, as luzes se apagaram novamente e o grande painel que dividia o palco da multidão deu espaço á entrada triunfal de Rob Halford e Cia. “Rapid Fire” de cara enlouqueceu os 8 mil presentes!

Se o show do Whitesnake tinha apenas um painel da banda ao fundo, o show do Judas teve uma mega produção, com direito a telão ao fundo, efeitos pirotécnicos, cortinas de fumaça, lasers e tudo mais a que um concerto gigantesco tem direito – O que deixou muitos ali de boca aberta com a dimensão do palco e do cenário!


Judas Priest e uma parte do palco bem produzido


Como seria a ultima apresentação, da ultima passagem pelo Judas em terras tupiniquins, nada mais justo do que dar aos fãs o que eles queriam: Uma enxurrada de clássicos de vários períodos da carreira da banda e uma performance de tirar o fôlego!

Depois de uma pequena amostra do que ainda estava por vir, Rob Halford saúda os bangers da capital e pergunta um “ARE YOU READYYYYYY??????”, “YEEEEAAAHHHH”, “LET’S GOOOOOOOOO...” E tome “Metal Gods” em sua versão “detona-corações-frágeis”!

“ Heading Out to the Highway”, “Judas Rising” e “Starbreaker” foram despejadas em seguida e provaram claramente que o Nilson Nelson é pequeno demais para agüentar a força da banda britânica!

“Victim of Changes” com solos de guitarra matadores na introdução veio depois e o grupo seguiu quebrando tudo! Glenn Tipton levou todos ao delírio com seus intermináveis solos!

Entre uma música e outra, Rob Halford, além de demonstrar que,mesmo com 60 anos nas costas, ainda canta como nunca e lança seus agudos poderosíssimos, ainda arranjava tempo para conversar com o publico! Sempre mostrando imagens de álbuns anteriores da banda no telão e explicando toda a trajetória do JP a partir daí! Relembrando toda a carreira bem sucedida do grupo e convidando seus fãs a partilharem deste momento único!


Rob Halford mostrando o poder de suas cordas vocais de aço


“Never Satisfied”, “Diamonds & Rust” dos primeiros álbuns da banda também não poderiam ficar de fora! Em um show de despedida, (snif) um repertório que ‘conta a história’ do grupo ao longo desses 40 anos de carreira é mais do que essencial!

“ Prophecy” foi um dos destaques da noite, em que Halford aparecia vestido em um manto brilhante, encapuzado e segurando um cajado poderoso, fazendo uma alusão ao profeta Nostradamus! Aliás, entre uma troca de roupa e outra, o careca sempre surpreendia com seus figurinos bem elaborados!


"Prophecy" 


“Night Crawler”, “Turbo Lover”, “Beyond the Realms of Death” (pra dar uma ‘acalmada’ nos ânimos), “The Sentinel” e “Blood Red Skies” seguiram enlouquecendo os fãs mais empolgados e fazendo até o povo mais ‘contido’ cantar junto e bater cabeça como nunca!

Maaaaasss...O momento “vamos-botar-tudo-abaixo-de-uma-vez” ainda estava por vir! Os fãs mais xiitas podem até criticar quem “não-conhece-a-banda-direito-e-só-ouve-as-faixas-famosinhas-do-grupo-seus-posers”, mas não tem como negar que o poder divino se manifestou ao som das músicas mais conhecidas do JP!

E “Breaking the Law” chega na área! Rob Halford fez as honras e deixou este clássico para o publico cantar fervorosamente enquanto ele acompanhava no refrão!

“Painkiller”....O que dizer desta jóia? Quem viu, quase morreu e quem morreu, se remexeu no tumulo! Reza a lenda que gritos estridentes puderam ser ouvidos do cemitério “Campo da Esperança”, de tão sobrenatural que foi! (Quem estava no show não me deixa mentir!)


E o surto coletivo continua...


Para deixar os pobres fãs descansarem um pouco depois de fortes emoções, o grupo deixou o palco por alguns minutos antes de retornar para um bis!

“Olê, Olê, Olê, Oláááááá....JUDAAASSS...JUDAAASSSS...” ao som deste coro feito pelo publico a banda retornou e despejou “The Hellion/Eletric Eye”, que novamente levou a galera ao delírio!

E então, depois de uma chuva de aplausos, um suspense pairou no ar e de repente roncos de uma motocicleta ecoam pelo ginásio – Era Rob Halford em cima de sua moto linda e imponente desfilando na frente dos 8 mil presentes, trajando seu sobretudo de couro e exalando o mais puro poder e admiração de quem viu de perto! (em off: MORRI!!!! MORRI!!!!! OMG!!!! OMG!!!!! EU VI ISSO DE PERTO, HAHAHAHAHAHAHA!!!!)


Halford e sua motocicleta poderosa desfilando pelo palco (antes da queda)


Mas um fato um tanto quanto curioso (e cômico) aconteceu! Se disserem que o show do Judas entrou pra história, eu não duvido NADA! Mas quem estava lá perto também se tornou testemunha da queda que o Halford levou de sua moto! O cara fez uma paradinha estratégica perto dos amplificadores, mas parece que a idade ou até mesmo o veiculo eram pesados demais pra ele, que acabou se desequilibrando e caindo com tudo no chão! Houve até quem pensasse que era parte do show e que ele se levantaria num pulo só (eu imaginei isso), mas quando os outros integrantes e um Roadie o ajudaram a se reerguer, realmente o negócio era sério e ele tinha mesmo levado um tombo ali! (No dia seguinte, como era de se esperar, saiu no Youtube e virou noticia em tudo quanto é site de música!)

Como em questão de minutos tudo voltou ao normal e como um rei nunca perde sua majestade, o vocalista não perdeu a pose e cantou “Hell Bent for Leather”, e seguiu em frente!  Após essa faixa, Rob Halford fez o que todo artista gringo faz quando vem pra cá e se enrolou numa bandeira do Brasil, como é de se esperar, acendendo o lado patriótico do público! Era hora de “You’ve Got Another Thing Comin” – outra pérola do Padre Judas!


E a bandeira do Brasil aparece...


O guitarrista Richie Faulkner, embora novato (substituiu o veterano K.K. Downing) não se intimidou e se mostrou um músico bastante entrosado com o grupo e bom de serviço! Se destacou em seus ótimos solos e até sapecou uns acordes do Hino Nacional brasileiro! Claro que os fãs ficaram doidos!


Richie Faulkner - destaque


Para fechar com chave de “Metaaaaallll”, o baterista Scott Travis anunciou que eles tocariam a última música - “Livin’ After Midnight” – a saideira que resultou em gritaria, pulos, gente cantando alto, gente enlouquecendo, as paredes do ginásio ruindo e o fim do mundo tomando conta do lugar, já que infelizmente a banda estava se despedindo definitivamente do país e logo não veríamos algo parecido nunca mais! (Mas nunca diga nunca, não é mesmo?)

E por fim, os integrantes foram ovacionados por vários minutos, enquanto agradeciam a presença de todos que ali estavam! Mais do que uma apresentação, uma verdadeira aula de como se faz um bom “Heavy Metal” tinha acabado! Pessoas tristes, pessoas emocionadas, pessoas felizes e fãs delirantes aos poucos deixavam o Nilson Nelson com seus corpos doloridos, suados, mas plenamente realizados!

Chega a ser um crime federal a banda anunciar que vai parar com as turnês, sendo que depois dessa apresentação ficou mais do que claro que eles ainda agüentam mais um tempo! Veremos o que virá pela frente!

Ps: E se euzinha aqui demorei tanto tempo pra escrever uma resenha sobre esse show, foi pq além de estar realmente muito quebrada, ainda estava digerindo tudo o que eu vi! Que show, meus caros......QUE SHOW!


Whitesnake - Setlist

Best Years

Give Me All Your Love

Love Ain’t No Stranger

Is This Love

Steal Your Heart Away

Forevermore

Guitar Duel

Love Will Set You Free

Drum Solo

Here I Go Again

Still Of The Night

Soldier of Fortune (Deep Purple cover) (Capella)

Burn / Stormbringer  (Deep Purple cover)


Judas Priest - Setlist

Rapid Fire

Metal Gods

Heading Out to the Highway

Judas Rising

Starbreaker

Victim of Changes

Never Satisfied

Diamonds & Rust  (Joan Bez Cover)

Dawn of Creation

Prophecy

Night Crawler

Turbo Lover

Beyond the Realms of Death

The Sentinel

Blood Red Skies

The Green Manalish (With the two Pronged Crown)

(Fleetwood Mac Cover)

Breaking the Law

Painkiller

Encore

The Hellion/Electric Eye

Hell Bent for Leather

You’ve got Another Thing Comin’

Encore 2

Living After Midnight

Posts Que Talvez Você Goste

2 comments

  1. kindeermman20/9/11 16:45

    um dos melhores shows que eu já presenciou, e eu estava la para presenciar !! o/

    ReplyDelete
  2. kindeermman20/9/11 16:47

    obs : presenciei* e não presenciou

    ReplyDelete

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!