Pedido de aniversário que virou realidade

6:07 PM

Texto: Ingrid Natalie (@ingridnatalie)

Fotos e edição: Helena Lucas (@meninavelha)

No banco temos Paulo (baixo), Rafa (Bateria), Leandro (guitarra) e no colo Bia

12/03 sábado cinzento e um pouco chuvoso na capital paulista, já anunciando a proximidade do outono, a equipe do Female Rock Squad encontrou-se com os membros da banda Mothim formada por: Beatriz (vocal), Leandro Rosa (guitarra), Matheus Mendes (guitarra), Paulo (baixo) e Rafa (bateria).

A história da Mothim iniciou-se em 2008 no aniversário de 11 da Bia que fez um singelo pedido ao pai Leandro, ela queria tocar numa banda em sua festa de aniversário. Diante da solicitação da filha o pai, que já tocava guitarra, não poupou esforços e reuniu os parentes João Vítor que ficou como 2ª guitarra, Matheus que na época tocava violão, mas ficou improvisado no baixo e Rafa na bateria.

Eles ensaiaram 10 músicas para a apresentação e gostaram tanto da brincadeira que decidiram começar a compor mais músicas. Nesse meio tempo Bia, que sempre gostou de escrever textos, começou a escrever letras de músicas e o pai Leandro as bases. Paralelamente o guitarrista João Vítor casou-se e mudou-se para a Austrália então Matheus migrou de volta para seu instrumento de origem, a guitarra.

Mas e o baixo agora!? Numa busca incansável eles recorreram a internet aonde encontraram Paulo dando de fato início a história recente da Mothim.

O nome da banda foi inspirado a apartir do álbum "Riot" dos americanos do Paramore. "Riot" em português significa motim e como já havia uma outra banda intitulada desta forma o "h" veio para diferenciar e trazer um toque internacional.

As influências giram em torno de váras épocas diferentes do rock, entre as bandas podemos citar Foo Fighters, Guns'n'Roses, Metallica, Green Day e claro não poderiam faltar as influências femininas como Avril Lavigne, The Donnas e Paramore.

O processo de composição as músicas é geralmente por Bia escrevendo as letras e Leandro a base das melodias. Tudo é muito natural e no estúdio os outros integrantes tão toques finais aos arranjos em seus respectivos instrumentos.

Bia é muito observadora e quando está compondo tenta retratar o que vê e o que sente numa forma de mostrar aos seus ouvintes coisas que passam na vida dela e também decifrar os sentimentos  femininos, mas sem nenhum tipo de feminismo exacerbado.






Mesmo atualmente com várias bandas tendo mulheres como a imagem e a voz principal, quando aparece uma banda com vocal feminino ainda causa um certo impacto. Para Mothim não há preconceito contra vocais femininos, mas sim uma certa apreensão pelo público por não saber o que esperar, na realidade o maior problema que eles enfrentam é por causa da idade da Bia que hoje está com 13 anos.

O desejo da Mothim para 2011 é primeiramente ficar em off para se concentrar nas músicas próprias, eles tem 20 músicas prontas, mas nos shows estão executando apenas 5. E, abril eles farão uma sessão de fotos profissionais e depois entrar em estúdio para gravar as músicas uma por uma. Todos os integrantes estão bem otimistas em relação ao futuro da banda, que vêm numa crescente e eles acreditam muito nas músicas.

A Mothim espera atualizar em breve o myspace com material novo. Para eles não dá para desvalorizar a internet que tornou tudo mais democrático, mas nada melhor do que a divulgação boca-a-boca.

Em conclusão a Mothim tem a filosofia de manter o verdadeiro espírito da banda, pois o marketing sobrecarregado em cima das bandas e o nível de exigência baixo exigido pelas gravadoras torna a indústria mais artificial.

Aonde ouvir?

Posts Que Talvez Você Goste

1 comments

  1. [...] quem quer conhecer mais sobre a Mothim pode ler a entrevista feita em Março clicando aqui.  O som da banda tem muitas influências principalmente dos americanos do  Paramore e o mais [...]

    ReplyDelete

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!