Trabalho de pura dedicação, energia, respeito e amor.....

11:27 PM

Por: Ingrid Natalie (@ingridnatalie)





 "Eu sinto como se a nossa missão tivesse sido cumprida eu particularmente tentei honrar e respeitar ao máximo a banda e fiz esse projeto com todo meu coração, com todo meu amor pra honrar o nome deles "


Todos os leitores desse querido blog sabem que o lançamento do novo álbum do Red Hot Chili Peppers foi dia 30/08 e que nossa equipe foi cobrir o lançamento na Livraria Saraiva do Shopping Center Norte (SP). Nesse mesmo dia e local haveria o show da banda Organic, mas infelizmente o show precisou ser cancelado. Mesmo com o imprevisto o vocalista Luiz Fernando permaneceu na Saraiva e aproveitamos a oportunidade para conversar com ele.

Passada a euforia do Anhembi e do Rock In Rio pude me concentrar nesta entrevista...ufa!

 Para quem ainda não conhece, a banda Organic faz tributo ao quarteto de Los Angeles desde 2003 e desde então tocaram em diversas cidades do Brasil e inclusive para outros cantos do planeta Terra, por um puro gesto em homenagem ao Chili Peppers. Numa entrevista bem intimista Luiz Fernando nos conta toda a trajetória do grupo, do início até os dias de hoje, e no final nos faz uma revelação emocionada sobre o futuro da banda:

 FRS: Como começou o projeto da banda Organic?

 LF: “O projeto começou em 2003, quando eu tinha ido aos três últimos shows dos Peppers aqui no Brasil e eu senti uma falta muita grande da banda, sabia que eles iriam demorar pra voltar e começou como uma brincadeira em estúdio e cada ensaio que passava foi ficando mais sério e a gente se dedicando e aplicando mais energia ao projeto.”

 FRS: E como surgiu a decisão de fazer um tributo ao Chili Peppers?

 LF: “A primeira formação da banda na verdade foi com músicos do bairro onde eu morava e trabalhava e a gente resolveu entrar no estúdio e tocar em torno de 10 músicas aonde 7 eram dos Chili Peppers....porque eu pedi assim...rsrsrs...e depois desse primeiro ensaio a gente viu que as melhores músicas eram dos Peppers e a gente acabou decidindo fazer uma banda cover especifica.”

 FRS: Na época a influencia principal para todos era Red Hot Chili Peppers?

LF: “Não, nem para todos a influencia principal era Chili Peppers...era mais por mim mesmo.... e a banda, deste primeiro ensaio que fizemos, durou muito pouco. Até encontrar as pessoas certas que eram fãs e que gostariam de aplicar tanta energia quanto eu no projeto demorou um pouco, mas a gente acabou encontrando e estamos ai até hoje.”

 FRS: Conte- nos sobre a formação que deu o “boom” pra Organic

 LF: “A primeira formação da banda foi após alguns testes ficamos 1 ano juntos, mas não foi considerada a formação oficial porque nós não chegamos a fazer nenhum show juntos. A gente ficou só ensaiando e preparando a banda pra poder sair e tocar. A primeira formação oficial foi considerada a partir do ano de 2004 quando a banda começou a fazer shows. Essa formação ficou junta por 6 anos, terminando em 2010, um dia a banda se transformou em projeto internacional com o baixista suíço David e 3 brasileiros, sendo eu..Felipo e Gabriel”

 FRS: Você como membro original da banda, quais as diferenças que você sente em relação a primeira formação e a formação atual?

 LF: “Na verdade foi um salto muito grande que a banda deu em termos de reconhecimento e qualidade, porque são músicos realmente de qualidade muito grande, e com reconhecimento que entraram na banda, além de todos serem grandes fãs de RHCP, mas a primeira formação tinha algo mais familiar por ter tanto tempo junto, ter mais entrosamento e ter mais afinidade não tanto musical, mas afinidade pessoal e segunda formação foi uma coisa mais musical mesmo aonde banda estourou e ganhou visibilidade também fora do Brasil.”

 FRS: Como que foi a receptividade do púbico fora do Brasil?

 LF: “Todos os shows que fizemos, 21 shows em 5 países, foram ótimos...receptividade muito boa também por sermos brasileiros...a gente fez a região leste da Europa: Eslovênia, Romênia, Servia, Bósnia e Croácia....fomos muito bem recebidos, a banda deixou todas as portas abertas pra poder voltar lá um dia.”

 FRS: Vocês acreditam e sonham que um dia a banda pode ser reconhecida como tributo oficial?

 LF: “Sonhar a gente sonha, mas a gente não espera isso. A gente acha que o RHCP não seria uma banda a fazer esse tipo de coisa. A sabe que tem bandas como Aerosmith, Guns`n`Roses, Iron Maiden e diversas outras bandas que reconhecem bandas tributo como bandas oficiais e apoiam esse tipo de projeto. A gente não acredita que o RHCP seja uma banda que vá fazer isso, mas seria um sonho e seria o reconhecimento de um trabalho dedicado só a homenagem a eles, amor a eles mesmo.”

 FRS: Quando e como começou a sua paixão de fã?

 LF: “Desde a primeira vez que eu ouvi a banda em 1989, eu era moleque ainda, eu tenho um irmão que eh 6 anos mais velho do que eu a gente assistia programas de video-clipes na TV toda tarde e toda manha e desde a primeira musica que eu ouvi dos Chili Peppers eu já me apaixonei pela banda, ja tinha algumas influencias, boas por sinal, como Paul McCartney, Nat King Cole e outras bandas mais pop que eu gostava como A-HA naquela época, mas Chili Peppers foi paixão a primeira vista e cada vez mais até hoje...rsrsrs”

 FRS: Cada vez mais você procura personificar o Anthony Kiedis na atitude e nas tatuagens o que mais te admira nele?

 LF: “Além de ser um grande fa da banda musicalmente o meu musico favorito no Red Hot Chili Peppers e o Chad Smith. Eu adoro a forma que ele toca, eu adoro a energia que ele coloca no projeto eu acho ele sensacional no palco. Eu gosto do tipo de musico que ele é, mas o Anthony Kiedis e meu grande idolo. Eu gosto desde as musicas que ele escreve, eu tenho admiração enorme pela historia de vida que eu sei através dos livros que eu ja li, pela qualidade que ele tem como compositor e eu gosto do estilo dele. As tatuagens foram feitas por eu ser um fa pessoal do Anthony Kiedis, nem tanto pela banda Red Hot Chili Peppers e nem pela Organic, foi uma decisão pessoal e que vai ficar pelo resto da vida comigo e é isso...”

 FRS: Quais os planos da banda em longo prazo?

 LF: “Pra ser sincero pra você eu não vejo mais futuro pra banda eu acho que tudo que a gente poderia ter feito já foi feito...eu sinto como se a nossa missão tivesse sido cumprida eu particularmente tentei honrar e respeitar ao máximo a banda e fiz esse projeto com todo meu coração, com todo meu amor pra honrar o nome deles e deixar o nome deles ecoando aqui no nosso pais aonde a gente tocou desde Santa Catarina ate o Acre e também nos outros países aonde eles nunca tocaram na Europa.

Em 4/09 a Organic esteve no Manisfesto Rock Bar no evento RHCP FUN PARTY para comemorar o lançamento do novo álbum I’M WITH YOU e os shows no Brasil no Rock in Rio e em São Paulo. Logo depois em 30/09 foram até Brusque (SC) e ainda tem mais shows para este segundo semestre e para 2012 será no mesmo ritmo, você poder conferir a agenda pelo site oficial:


Também pode seguir pelas redes sociais:


Posts Que Talvez Você Goste

4 comments

  1. meninavelha18/10/11 08:07

    Gostei da entrevista, mas na foto não dá pra saber quem é, se é o Anthony ou se é o Luis Fernando...

    ReplyDelete
  2. É o Luiz Fernando...hehehehe....pra você sentir como ele personifica bem o AK, mas vou procurar nas próximas entrevistas fotos melhores.

    ReplyDelete
  3. Ótima entrevista! Parabéns pelo trabalho Ingrid!

    ReplyDelete
  4. Linda a entrevista, Ingrid!
    O Luiz Fernando é o maior fã de RHCP desse mundo e disso eu não tenho dúvidas. =)
    Alguma coisa muito especial ainda deve estar por vir...ele merece!

    ReplyDelete

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!