13 motivos + 1 para você ouvir Dreizehn XIII!!

9:55 PM

Entrevista: Laura

Introdução: Fernanda

Ohayo Gozaimasu, Konnichiwa e Konbanwa (tá faltando algum? Foda-se, tb não sou um dicionário ambulante) a todos os mocinhos e mocinhas do roque que, apesar de tudo, ainda nos acompanham! Como vocês sabem, nós abraçamos a causa nobre de percorrer por esse mundão de meu sinhô (e viva a internet novamente) atrás daquelas bandas que vocês não conhecem (mas vão conhecer!) e hoje não poderia ser diferente! Diretamente dos confins de Juiz de Fora, achamos uma bela amostra que nossos sagrados deuses orientais nos enviaram! A Banda que bebeu da fonte do J-Rock, que foi agraciada pelas forças ocultas de um sonho e que tem como número da sorte, o temido “numero treze”... Dreizehn XIII!!!!!




FRS – Como surgiu a banda?

Kuro - Houve um projeto em que todos participamos antes do XIII, apesar de o projeto não ter vingado nós nos mantivemos próximos. Eu e Kinsei já tinhamos decidido continuar e então conversei com o Shiro e compomos Namida no Sora. Através dessa música foi possível voltarmos para o estúdio com Kazuma e a atual formação se consolidou.

FRS – Quais são as principais influências, ocidentais e orientais, de cada um?

Kuro: Eu curto rock em geral, o que é bom é bom, mas tenho minhas exceções com relação ao som oriental.

Kinsei: Ser Brasileiro é ser eclético, mas em rock eu gosto muito de Luna Sea, Dir en Grey , D´espairs Ray. Gosto muito de bandas antigas também como Deep Purple, ACDC, Kansas, etc...

Shiro: Ocidentais é muito variado, eu curto musica eletrônica, pop, metal e etc...Orientais eu curto quase tudo, gosto muito de j-rock e pop coreano.

Kazuma: São muitas, mas posso destacar das ocidentais Slipknot, Iron Maiden e Rammstein, curto muito também o trabalho do Steve Vai. Já das orientais posso citar Dir en Grey, Sadie, Unsraw, Black List e muitas outras.

FRS - Como vocês chegaram a esse nome?

Kuro - Tudo na XIII é meio...estranho (rs)... O nome "Dreizehn" na verdade veio em seguida...Bom, eu tive um sonho em que era marcado em brasa com um "XIII" nas costas e sugeri que fosse uma referência, somente depois disso é que surgiu o nome Dreizehn propriamente, é simples...ou não... (rs)

Kazuma: Acredito que no início tivemos uma impressão estranha, mas fomos percebendo ao longo do tempo várias coincidências como, por exemplo: a casa do Shiro é número 13, o aniversário da banda cai num dia 13 e ainda agora essas coisas acontecem. Eu me mudei recentemente e depois de muitas dificuldades para achar um bom lugar (o lugar adequado para um guitarrista rs) finalmente encontrei um apto no 13° andar e era perfeito para um cara como eu.

Shiro: Quando percebi o lance com a minha casa, isso realmente me impressionou um pouco. (rs)




FRS - Como é o processo de composição?

Kuro: Tudo acontece de forma bem intuitiva em primeira instância, se tivermos uma idéia para uma canção, ela vai nos pedir o necessário para torná-la real.

Shiro - As músicas surgem de várias formas, algumas vezes partimos de uma letra já escrita, outras vezes montamos a linha da guitarra, depois melodia e por fim a letra.

Kazuma: É isso aí

Kinsei: (concorda com a cabeça).

FRS – Por que vocês seguem o j-rock? E o visual, quando resolveram adotar?

Kuro - Desde o começo da XIII sempre houve influência musical do oriente. Nós acreditamos que a música sempre está associada à imagem e que a parte visual complementa o que queremos passar, mesmo que você nos veja bem simples em um show, para nós há um porque daquilo. (além de nem sempre termos os recursos necessários, depende de várias circunstâncias).

Kinsei - Eu gosto muito do j-rock porque não é um estilo tão pré-definido. Você escuta bandas com um instrumental trabalhado tipo L'Arc~en~Ciel e ao mesmo tempo bandas mais pesadas como Unsraw e isso é muito interessante.

Kazuma: Eu gosto desse estilo por causa da liberdade que ele me oferece para poder compor e trabalhar em músicas. Isso se tornará mais visível nos nossos próximos trabalhos.

Shiro: Eu sempre curti e sabia que era assim que eu queria fazer.

FRS – Vocês acreditam que o fato das letras serem em japonês é uma barreira para conseguir fãs?

Kuro - Sim e não. Se você for analisar, nossos diferenciais, como o japonês usado nas letras e o visual acabaram sendo importantes para a divulgação do nosso trabalho até agora. Apesar de não existir certeza quanto ao futuro, manteremos nossas raízes sempre porque é disso que somos feitos e isso constitui a XIII.

Kinsei - Eu não acho que seja uma barreira para os fãs. Mas
o meu ponto de vista é de que talvez os fãs brasileiros precisem de algo que possam se identificar e se orgulhar e eu não sei se cantar em outras línguas proporciona isso. É algo que eu ainda não concluí.

Kazuma: O ideal é que as pessoas escutem e decidam por si mesmas.

Shiro: Não, não é uma barreira...

FRS – E temem ficar presos a alcunha de banda para “fãs de anime”?

Kuro - Acho que isso nunca rolou na verdade, desde o primeiro show sempre tocamos em eventos "mistos" além dos eventos de anime, e como todos curtem anime é gratificante tocar nesses eventos, rola de assistir alguma coisa depois dos shows (rs).

Kinsei - Para os de fora é essa a impressão que dá, mas
fazendo shows pude perceber que gostar de anime não necessariamente implica em gostar de j-rock. Talvez isso seja mais claro em São Paulo. Mas nos outros lugares essas duas coisas não estão sempre juntas.

Kazuma: O que tocamos é rock, independente das influências. Onde houver um fã, com certeza vamos querer estar lá.

Shiro: Não.



FRS – Como é a reação do público? Como reagem ao visual? E as músicas?

Kuro - Se eu falar não sei você vai achar estranho né? (rs) Acho que a resposta para as três é positiva, mas japoneses ou brasileiros nós somos rockeiros, fazemos rock 'n' roll do nosso jeito e o aspecto visual está incluso no nosso processo, nós só subimos lá (no palco) e mandamos o nosso som, somos bastante confiantes no que fazemos e mesmo havendo aqueles que critiquem ou não gostem, nós estamos bem com isso, escutamos à todos, mas fazemos as coisas do nosso jeito.

Kazuma: ... Acho que ele falou por todos. (rs)

Shiro: risos

Kinsei: risos

FRS – A banda é de Juiz de Fora (MG), como é o cenário musical?

Kuro - O cenário aqui é bem diversificado, rola de tudo, do Black, Heavy e Punk ao Emo e nós fazemos parte deste cenário assim como a Sh.U.Ra, que também tem influências similares apesar de como nós, ter uma identidade musical bem forte e própria.

Kazuma - Aqui o lance é assim, quanto tem show de rock, rola de tudo inclusive nós.

Kinsei e Shiro: risos

FRS – Mas pensam em uma mudança para São Paulo?

XIII - (conversam entre si por um instante) Nossa vontade é viver de banda e estamos prontos para adequações até certo ponto, mudar de cidade está na lista de "faríamos".

FRS - Vocês já participaram de alguns festivais e a banda também tem uma ligação forte com uma Rádio, falem um pouco disso pra gente. Como foi a repercussão disso pra banda?

XIII - Nossa relação com a rádio é boa, temos o nosso espaço lá com um blog e até então a repercussão tem sido a melhor. Um abraço a todos da rádio porque fazem um excelente trabalho.

FRS – Vocês resolveram investir em um clipe, o resultado dessa produção já tem aparecido? Compensa?

Kuro - Compensa sim, já vimos todo o tipo de comentário e na pior das hipóteses chamamos atenção, falando bem ou mal, todos assistiram nem que fosse para criticar. (rs)

Kinsei - O resultado foi bom, muitas pessoas gostaram, outros tantos tem uma visão utópica sobre fazer musica. Acham que músico se alimenta de luz, que não precisa trabalhar. Mas os que realmente sabem a dificuldade que é levar uma “vida dupla” assim respeitaram e sempre fizeram críticas construtivas.

Shiro - Tem sido positivo. Este foi nosso primeiro e ele será um parâmetro para que os próximos sejam melhores.

Kazuma - O PV foi demais, assistam, vale a pena!






FRS – O que acham da situação da música atualmente?

Kuro - Eu acredito que nosso mercado já esteja saturado, as pessoas querem algo totalmente novo, quer dizer, você chega num evento e escuta muita coisa boa... da mesma coisa que sempre tem escutado! “Cara, me dê algo novo que faça revirar minhas tripas!". É isso que queremos fazer de todas as formas e existem outros que querem a mesma coisa.

Kinsei - Eu acho que o mainstream que é a música de mídia não vai mudar muito por um longo tempo. As gravadoras estão morrendo e não vão arriscar investimento em algo novo. Hoje se produz um CD em casa e se divulga na internet com uma abrangência grande e já se observa bandas saídas da internet e migrando pro mainstream, mas é devagar e em ciclos.

Kazuma - Passo.

Shiro - (Olha para o Kazuma) Passo?! (rs)

FRS - Quais são os próximos compromissos da banda?

XIII - Vamos começar a gravação de um CD e temos tido idéias para lançar uma versão física para quem quiser ter o CD impresso e para o ano que vem estamos acertando detalhes para shows em BH e SP, nada foi confirmado por isso vou falar apenas isso.

Agradecimentos:

Agradecemos aos fãs que curtem o nosso som e tem nos apoiado, tudo que conquistamos foi por causa deles, a estrada é longa então continuaremos contando com vocês.

Fica também um abraço para o diretor e a equipe de gravação do nosso P.V., foi tudo cansativo e divertido em equivalência, obrigado por tudo.

Contatos:




Ronnie Pedra: ronnie.pedra@live.com


Posts Que Talvez Você Goste

5 comments

  1. Nossa...Muito legal a entrevista...
    Parabéns pra vocês! /

    ReplyDelete
  2. Oi^^
    Bom...eu sou uma super fã deles ...aliás..a 1ª fã deles..e que ajuda eles aqui em sao pauloi apesar de eu ter 12 anos..
    e sabe dorei a entrevista..e desejo do fundo do meu ♥ que eles tenham bastante sucesso....e cheguem longe!!^^
    bjus da MAIOR FÃ da Dreizehn XIII
    Beatriz

    ReplyDelete
  3. Ronnie Pedra14/12/10 21:23

    Parabéns pela entrevista! Espero que mais pessoas possam conhecer e apreciar o trabalho.

    Abraço recebido! rs

    ReplyDelete
  4. Cara, realemtne tenho que dar os meus parabéns a essa banda!
    Eles tem um som muito legal e são muito carismáticos!
    Já fui a muitos shows deles e realmnte, ele mandam muito bem!
    Conheço o trabalho deles a praticamente 2 anos e ele sempre tem um trabalho de exceletente qualidade!
    Pra quem não conhece, vale a pena escutar o so dos meninos!
    Contenuem assim garotos q vocês vão longe!

    ReplyDelete
  5. Bem...Eu sou meio suspeito para falar! Pois eu amooo J-Rock! Bem sou de Salvador e conheço a XIII, inclusive Kuro, conversamos por MSN...AHuhauhAUhUHA
    Babel é muitooo legal, o PV esta realmente deslumbrante comparado muitas coisas que vemos no brasil e ainda mais quando se trata de uma produção própria!
    Quanto a entrevista...Me sentir lendo uma entrevista de uma banda renomada jah!
    HAuHAuHAuhUAH
    Então, a unica coisa que eu posso fazer é...dizer parabéns também e em breve parceiros! Espero estar a altura XIII...Sorte e sucesso!

    ReplyDelete

Não esqueça de deixar seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Galeria FRS!